1 – INSS sem fila. Mentira.  Entro no site, tento no 135, apenas para mudar a senha. Tamos  gravando, diga se aceita, abaixe as calças. Ok. Demora. Resposta. Só para o dia 03 de junho (hoje é dia 19 de abril). Assim mesmo, só na Ceilândia, outro país, longe aqui da ilha. Se eu ainda tivesse a proteção da CUFA. Mandei à merda!

2  –  Compra pela Internet. Colombo. Geladeira e fogão para a velha sogra. Pago à vista. Vem confirmação pelo email. Com esta pérola: você merece ser atendido por nós com a máxima presteza. E a data provável de entrega: dentro de 32 dias. Não mandei à merda por causa da velha.

3 – Eleição para representante dos empregados no cemitério onde trabalho como coveiro. Sindicatos entram no meio que forçando a barra. Resultado: pouca participação da plebe. Maior silêncio tenebroso, fúnebre, falso e desconfiado. Sem direito de mandar a patrulha à merda. Tá feio o encosto. Descola deu, manezinha!

4 – Fui no Banco do Brasil. O Banco da Fulana. Cartão da sogrona na mão. 87 anos. Senha especial. Carreguei a velha escada acima. Esperamos 15 minutos pela chamada. Daí, noto que o Painel Eletrônico continuava, desde o começo, PIFADO no 102. Estavam chamando no olho. Reclamo. Atendido. Demorado. Um gerente para dez filhos do Lula recém-empregados. Ineptos. Resultado. Para fazer isso tem que ir no caixa. Carrego a velha escada abaixo. Daí, bem brasileiro, pego duas senhas. Uma de velho. Outra de moço. Adivinha qual foi chamada antes. EU SOU É JOVEM!!! Por isso, mando todo mundo à merda, e saio de férias. Antes, mando o dinheiro para outra conta, claro. NÃO SOU BURRO. Idiota é a minha sogra que tem conta em banco do governo.

*

Que mais?

Vou-me embora pra Passárgada.

Lá sou amigo do nego rei.

Vou nadar no Mississipi.

Mergulhar no tornado.

Então, inté e axé, tá?

Anúncios