agosto 2012



 The defense of ¨mensalão¨,

the biggest case of corruption in Brazil,

focuses on the evidences of the process.

This week’s oral arguments of the lawyers in criminal action 470,

before the decision of the Supreme Court,

pass on responsibilities and try to discredit the evidence,

testimonial and documentary,

presented in the indictment by the prosecutor.

 Click to listen:

 

http://radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-08-10/defesa-do-mensal%C3%A3o-se-concentra-nas-provas-do-processo

 

Defesa do mensalão se concentra nas provas do processo

Nesta semana de sustentação oral dos advogados,

na ação penal 470,

antes da decisão do Supremo Tribunal Federal,

a defesa, além de repassar responsabilidades,

tenta desqualificar as provas, testemunhais e documentais,

apresentadas na acusação pelo Ministério Público.

 


A survey conducted by the british organization “Tax Justice Network

reveals that Brazil has 520 billion dollars, undeclared,

and therefore illegally deposited in tax havens.

 Moreover, tax evasion is one of the complaints

 against Mensalão, in Criminal Case 470,

and until there is a project of amnesty in the Senate,

for those who want to repatriate.

Hear me. Clique, Mané!

http://www.ebc.com.br/noticias/galeria/audios/2012/08/brasil-tem-meio-trilhao-de-dolares-ilegais-no-exterior

 


Canto 10 de Os Lusíadas, de Camões:

***

“ Vereis amor da pátria, não movido

De prémio vil, mas alto e quási eterno;

Que não é prémio vil ser conhecido

Por um pregão do ninho meu paterno.

Ouvi: vereis o nome engrandecido

Daqueles de quem sois senhor supremo,

E julgareis qual é mais excelente,

Se ser do mundo Rei, se de tal gente.”

***

Para quem for néscio eu canto o 1:

***

“As armas e os Barões assinalados

Que da Ocidental praia Lusitana

Por mares nunca de antes navegados

Passaram ainda além da Taprobana,

Em perigos e guerras esforçados

Mais do que prometia a força humana,

E entre gente remota edificaram

Novo Reino, que tanto sublimaram.”

E aí, mané?

Me calo?

 


 Mensalão tinha proteção automática da retaguarda

Os comitês de Prevenção e Lavagem de Dinheiro e o de Automação da Retaguarda, usados no “Mensalão”, ou Ação Penal 470, dificultam a condenação dos acusados nas denúncias apresentadas pela Procuradoria-Geral da República (2005 e 2012), que enfrentam agora o julgamento final no Supremo Tribunal Federal. Entenda como funcionava o esquema, nesta primeira parte da série “Contas abertas do Mensalão”.

Clique para ouvir

http://radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-08-06/mensal%C3%A3o-tinha-prote%C3%A7%C3%A3o-autom%C3%A1tica-da-retaguarda

 

A conversa miúda desta semana, 500 palavras por dia, é sobre uma coisa que está na boca do povo. É o famoso mensalão que, depois de sete anos da primeira denúncia, agora depende dos onze juízes do Supremo Tribunal. Cabe a eles decidir, a partir das provas, quem são os culpados, até porque a existência do mensalão já foi aceita. Se algum indiciado for considerado culpado, o STF decide quantos anos de cadeia cada um leva. Vamos nessa?

 

* * * * *  

Antes de começar esta prosa melindrosa, alerto que apenas traduzo nesta rádio o falado, investigado, comprovado, denunciado e relatado nas denúncias da Procuradoria-Geral da República, aceitas e acolhidas pelo juiz-relator do STF, baseadas nos inquéritos da Polícia Federal, Tribunal de Contas da União, Banco Central do Brasil e na CPI dos Correios. Por isso, nesta série, eu me concentro em trocar em miúdo o tantão de dinheiro público que foi desviado, evadido, roubado, lavado, enfim, corruptado. Só tem um porém. Ninguém sabe ao certo o quanto, mas pelo pouco que ficou provado, é muito.

* * * * *  

O dinheiro roubado pelo Mensalão e as palavras quadrilha, organização criminosa e maior esquema de corrupção já praticado, estão nas duas denúncias. Foram apresentadas, primeiro em 2005, pelo então procurador-chefe da República, Antonio Fernando Barros Silva. Agora, agosto de 2012, o atual procurador-chefe da República do Brasil, Roberto Gurgel, no começo do julgamento final, no Supremo Tribunal, confirma de novo o que ele chama de dinâmica delituosa e sacamenta. Fica assim confirmada a existência da quadrilha. O mais atrevido caso de corrupção e desvio de recursos no Brasil. Por isso, ele pede que o STF mande para a cadeia 36 dos 40 réus.

* * * * *  

 

Adianto a prosa desta semana. Divididos em três grupos – político, operacional e financeiro – participaram políticos da maioria dos partidos,e, especial da base do governo Lula, a partir de 2003, através de bancos e instituições financeiras, mentores, operadores e receptadores. Para fugir das provas, caso fossem apanhados e assim dificultar a condenação, havia duas jogadas de mestre. Primeiro, a automação da retaguarda. Isso mesmo. Noutro dia, troco isto em miúdo. Depois, um tal de Comitê de Prevenção e Lavagem de Dinheiro.

* * * * *  

 Apesar de ninguém saber ao certo quanto foi roubado, desculpe, desviado criminosamente, existem algumas provas cabais. Por exemplo. Oitenta mil notas fiscais falsas. Três delas da empresa DNA de Marcos Valério para o Banco do Brasil-Visanet-CBMF. Valor: 64 milhões e 754 mil reais. Repetindo. 64 milhões e 754 mil reais. Outra nota fiscal falsa. Para a Eletronorte. Doze milhões. Mais uma. Desvio de 55 milhões de reais pelos bancos Rural e BMG. Mais. Repasse mensal, daí o apelido Mensalão, para partidos políticos da base. Mais. Um milhão de dólares pagos no exterior, através de doleiros, para a empresa de Duda Mendonça, pela campanha eleitoral. Mais. Desvio de 37 milhões e 663 mil reais por conta de um tal de Bônus de Volume. Que é isso? Calma. Isto é Economia. Amanhã, eu continuo. Tem muito mais

Então, tá

Inté e Axé


O grande circo da corrupção no Brasil

                   The Attorney General’s Office, Roberto Gurgel,

 chain asks for 36 of the 40 defendants

of the “most scandalous corruption scheme” never before happened in Brazil.

To submit a formal complaint,

more than five hours of presentation of overwhelming evidence.

 I followed every step of finally restart this proce.

                    O Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, pede cadeia para 36 dos 40 réus do “mais escandaloso esquema de corrupção” nunca antes acontecido no Brasil.

                     Para apresentar a denúncia formal,  foram mais de cinco horas de apresentação de provas cabais. Eu acompanhei cada passo do, finalmente, recomeço deste processo.

                   Acompanhe-me, do final para o começo. O que estiver entre “ásperas”, é do procurador. Palavrão indignado, tipo fuck you, é meu mesmo. Até porque o Zé Povinho de merda não está nem aí.

 The End.

                  Procurador-Geral da República do Brasil pede cadeia  imediata dos 36 dos 40 da Quadrilha do Mensalão do PT por desvio de UM BILHÃO E SETECENTOS MILHÕES DE DÓLARES. Tudo comprovado.

                   E o procurador termina com esta frase, parece ironia, do muso do PT, o Chico Buarque de Holanda, que aparece logo avante, no caso da Ana Arraes, do TCU, e irmã da ministra da Cultura.

Leia a letra

 http://letras.mus.br/chico-buarque/45184/

 Ouça o som:

http://letras.mus.br/chico-buarque/45184/

                     Continuando a apresentação da denúncia do procurador da denúncia do Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, no processo contra o Mensalão do PT.

 Final menos 1 –  19h20m

LAVAGEM DE DINHEIRO. Banco Rural e PT. O procurador explica como se faz. Eu aprendi. AUTOMAÇÃO DE RETAGUARDA. (????????) Simples mas extremamente eficiente, garante ele. Um saque por semana, sempre de mais de CEM MIL REAIS cada. O Banco Rural tinha os registros e não informava o Banco Central. Era para o controle interno da QUADRILHA do PT. “Dinâmica delituosa”.

 Final menos-  219h03

             Banco Rural. Gestão fraudulenta. Contratos fictícios para financiar operações ilícitas do PT. Doações em troca de favores do governo. Nunca foram empréstimo porra nenhuma. Sem qualquer cadastro. Informações falsas. Tudo a nível de direção. “Nenhum gerente seria louco de assinar”(RG). Absoluta negligência. TRINTA E QUATRO MILHÕES de reais na sexta renovação.  Teve outro, de DEZ MILHÓES. E mais outro…

 Final menos –  19h13

                O absurdo da situação, segundo o procurador. Delúbio avalizou empréstimo no Banco Rural, pelo PT, no valor de SEIS MILHÕES, dando como uma garantia um velho carro COROLA. “E nem o PT tinha condição de pagar, porque estava com as contas negativas”(RG). E estava com nota de risco H, a mais alta. “Nenhuma agência bancária no resto do mundo teria concedido este empréstimo”. (RG). E digo eu: PQPT. Outro contrato. DEZENOVE MILHOES. Renovado seis vezes, sem qualquer pagamento, com o valor chegando a TRINTA E DOIS MILHOES.

 Final menos 4 –  18h53

                        Sobra para Ana Arraes (deputada federal, mãe de Eduardo Arraes (PSB-go vernador Pernambuco, filha de Miguel Arraes, cacho de Chico Buarque de Holanda). A decisão dela, ministra  no TCU,  beneficiando Marcos Valerio,  foi derrubada logo em seguida. O procurador-geral diz que não se está tratando da privada mas da coisa pública. Ela errou feio. A empresa de publicidade, DNA, pegou dinheiro, comprou bonus, se tivesse lucro, passaria para o Banco do Brasil. Teve mais de dois milhões de reais. Lógico que não repassou porra  nenhuma. Mas, atenção,  entregou tudo para a Câmara dos Deputados, onde estava, na presidência, adivinhe, João Paulo Cunha, do PT.

 Final menos 5-  18h44m

                     “Versões inusitadas é que não faltam nos autos”(RG). Segundo o procurador, a desculpa apresentada por Henrique Pezollato, diretor do Banco do Brasil, foram “esfarrapadas e esdrúxulas.” E digo eu. Quase C E M   M I L H Õ E S.  Outro Crime de peculato. 2 milhões e 900 mil reais. P.Q.P.T.

 Final menos 6 – 18h36m

                       Detenho-me agora na figura de Paulo Rocha-PT do Pará. 853 mil reais, em prestações. Mais 200 mil num quarto de hotel, direto do  Valério. Mais 200 mil através do Charles Dias, via Simone. Mais 300 mil ao vivo, embalado. Um mês depois, mais cem mil. Tudo em BH. Desta vez, seria um cheque, com recibo. Agora, deputado João Magno. 360 mil reais mensalados. Agora, eu. Puta qui pariu, quanta grana. Finalmente, professor Luizinho, VINTE MIL REAIS. “Professor pobre”- recanta madame.

 Final menos 7  – 18h20m

                 Agora, desvio de recursos do BANCO DO BRASIL. Esquema ilícito para o Banco Rural. Empréstimo fraudulento. Desvio recursos públicos. SETENTA E TRÊS MILHÕES E OITOCENTOS MIL REAIS. P.Q.P.T.

 Final menos 8 –  18H15m

                  “Os recibos eram informais”(RG). João Paulo Cunha-PT- retirou para uso próprio 250 mil reais da Câmara. Contratou o jornalista Luis Costa Pinto. Blá-blá-blá. Assessor pessoal. 22 mil reais por mês. Desvio de 250 mil reais num ano.

 Final menos 9 – 18h19m

                Sai João Paulo Cunha da presidência da Câmara. Diz que não tinha a posse do fruto do roubo. “A posse não é só o poder material, mas a possibilidade de vir a usar…”(RG). CONSUMOU-SE ASSIM O CRIME DE PECULATO.

                                 Final menos 10 –  18h03m

              PT. João Paulo Cunha. Lider do PT na Câmara. “Intensos contatos” dele com M.Valerio. “Ligação tão estreita. Firma Valério ganha licitação de publicidade Câmara. Em troca de 50 mil reais. Banco Rural. Esposa Márcia Regina foi buscar o dinheiro já lavado. “Causa perplexidade” não ter usado o sistema “tão aberto e singelo”do doc transferido por banco. “Pobreza”- canta madame aqui a meu lado.

 Final menos 11 –  17h55

               PT e PMDB. Delúbio indicava os beneficiários ao banco. Uma vez, José Borba se recusou a tirar xerox do documento (deputado federal). Mandada outra pessoa, Simone Vasconcelos, que tirou os 200 mil e repassou para o Borba. “Forma escancarada como toda a operação era realizada”(RG). Pagina 16.657. Anderson Adauto, o ministro de Transportes, recebeu 950 mil. Em sete mensalidades. Sempe sacados pela Simone. “Em outros casos há pagamentos semanais”(RG). Mas não foram apenas partidos. Já volto.

 Final menos 12 –  17h42m

         “Os pagamentos eram em agências ou hotéis”. Agora, o PTB. Vultuosos valores. Martinez, sendo 700 mil ao vivo. Teve mais. O motorista Jair buscava. “Numa das vezes, chegou a BH num carro forte, tais os valores recebidos neste esquema criminoso.” Roberto Jefferson , 4 milhões e meio.

 Final menos 13 –  17h28m

           Segundo tempo. Mais duas horas e meia pela frente. BMG – mais de 10 milhões de dinheiro público desviados do Banco do Brasil-Visanet. Sete operações de lavagem de dinheiro. No caso do PP. Através do PT. Agora, a vez do Partido Liberal. 8.885,742,00 reais, através de JA…CINTO LAMAS.

 Final menos 14 –  17h15m

        Contrato fictício, retroativo. Série de transferências em dinheiro, ordenadas por Delúbio, PT.Empresa Guaranhuns, “especializada em lavagem de dinheiro”. 6 milhões 745 mil 402 reais em 63 operações de lavagem de dinheiro. Mais a do Banco Rural : 1 milhão já lavado.
Vamos ao bispo Rodrigues. Em troca de votos. Dia 17… 150 mil em espécie.

 Final menos 15 – 16h35

        Mais de 2 milhões de reais movimentados nos dias de votação da reforma tributária. Na reforma da previdência, sacados 950 mil reais. 9 milhões 550 mil reais num período Agora, só dos parlamentares do PP (progressista?) 2 milhões 905 mil reais.

Final menos 16- 16h20m

      Entrega de dinheiro sempre em espécie depois de lavado. O destino é irrelevante. Não se tratou de “singelos acordos partidários”. Houve “nexo de casualidade”. Movimentação de vultuosos valores em espécie perto de grandes votações. E cita um tal de Ja…cinto Lamas recebendo 900 mil reais.

 Final menos 17 – 16h18m

FICA COMPROVADA A EXISTÊNCIA DA QUADRILHA DO PT.

Final menos 18 – 16h16m

                Banco Rural. Saques gigantescos jamais comunicados ao Banco Central. Crime consumado de gestão fraudulenta. Quadrilha… Notável volume de recursos. Empresa no exterior para viabilizar lavagem de dinheiro. Titular. Duda Mendonça.

 Final menos 19 –  16h03m

               Chega a vez do núcleo financeiro, Banco Rural. Não comunicou movimentações suspeitas. Não exigiu garantias. Avalistas classificação H (caindo da mais alta, A). “José Dirceu está, rigorosamente, em todas.”

 Final menos 20 –  16h01

             Chega a vez do núcleo operacional, líder, Marcos Valério. Várias ocasiões teve que contratar carro-forte. Num deles, 660 mil reais. Tinha até, ironicamente, um Comitê de Prevenção à Lavagem de Dinheiro.

 Final menos 20 – 14h39m.

          Começa a peça de fato. Em seis minutos, a estrela do dia, o PGR, Roberto Gurgel, cita cinco vezes o nome de Raimundo Faoro. Não é réu, mas grande jurista. Agora, sim, começa o principal. Ah… ele fala numa falou tal de METAÉTICA. E diz que a PGR apresentou, na verdade, a denúncia (unção do batismo) contra a “quadrilha”do PT em 2006. Estamos em 2012. O procurador, na verdade, é desprovido das qualidades vocais. Ele quem diz. Parece até Voz do Braziu. Isto digo eu. Pronto. Começou por aqui.

Leia o processo do Mensalão:

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_pdfs/INQ%202245%20-%20denuncia%20mensalao.pdf/view


In four women, one man has the disease called oniomania, which is the compulsion to buy at any price, it becomes like any other addiction and need specialized treatment and help from groups that are beginning to be formed around the Debtors Anonymous .

Em cada quatro mulheres, apenas um homem tem a doença chamada  oniomania, que é a compulsão por compra a qualquer preço, que se torna vício como qualquer outro e precisa de tratamento especializado e ajuda de grupos que começam a ser formados em torno dos Devedores Anônimos.

Listen Me. Clique abaixo:

http://snd.sc/NXn388

 In four women, one man has the disease called oniomania. It attacks the person who can only alleviate a sense of frustration if you buy something. Valley either, especially if they are not needed. And no matter if at the time the sick person has a condition or not to pay, even in installments. This disease needs to be treated like a vice. Let’s do it?

Em cada quatro mulheres, apenas um homem tem a doença chamada oniomania. Ela ataca a pessoa que só consegue aliviar um sentimento de frustração se comprar alguma coisa. Vale qualquer uma, principalmente se não estiverem precisando. E não importa se na hora a pessoa doente tem condição ou não de pagar, mesmo que parcelado. Esta doença precisa ser tratada que nem um vício.  Vamos nessa?

 …

First, the fact. According to Central Bank data, in June the banks lent 546 billion reais. I spoke bi … not millions. Eight percent of debtors are in arrears more than three months, which configures default. No overdraft, default jumps to almost 12 percent. Seventy-two percent of total debt is due to the seductive credit card. Easy to use and difficult to pay. And worst of all. Among those earning more than ten times the minimum wage, 58.4 percent are in debt. Many with the disease called oniomania.

Primeiro, o fato. Segundo dados do Banco Central, em junho os bancos emprestaram 546 bilhões de reais. Eu falei bi… e não milhões. Oito por cento dos endividados estão em atraso maior do que três meses, o que se configura calote. No cheque especial, a inadimplência pula para quase 12 por cento. Setenta e dois por cento do total da dívida é por conta do sedutor cartão de crédito. Fácil de usar e difícil de pagar. E o pior de tudo. Entre os que  ganham mais de dez salários mínimos , 58,4 por cento estão endividados. Muitos deles com a doença chamada oniomania.

Disease who have compulsive buying all the time, experts say, manifests itself in people who feel repressed by anything, and that neither child thinks having the sweet resolve the matter at the time. The worst is that it gives a sense of relief of symptoms immediately after the purchase, but it all comes back soon after, the first shop window. Actually, it’s the same person that needs to take drugs, drink, play, and in the case, go into debt.

A doença de quem tem compulsão por compra a toda hora, segundo os especialistas, se manifesta em pessoas que se sentem reprimidas por qualquer coisa e, que nem criança, acha que tendo o doce resolve o assunto na hora. O pior é que dá uma sensação de alívio dos sintomas da doença logo depois da compra, mas tudo volta logo em seguida, na primeira vitrine de loja. Na verdade, é a mesma coisa da pessoa que precisa se drogar, beber, jogar, e, no caso, se endividar.

A little more about this disease attacking many people walking around. The person has oniomaníaca the first symptoms around 18 years old. You can only realize when they can, some ten years later. And no use for the medicine from the pharmacy because it does not exist. Have to go to the same psychiatrist, group meetings with the same problem, incidentally, is increasing the number of Debtors Anonymous, on the same path of Alcoholics Anonymous. So that neither the alcoholic must stop drinking, snorting drugs, smokers smoking, oniomaníaco have to stop … buy.

Mais um pouco sobre esta doença que anda atacando muita gente por aí. A pessoa oniomaníaca tem os primeiros sintomas por volta dos 18 anos de idade. Só consegue perceber, quando consegue, uns dez anos depois. E não adianta partir para o remédio da farmácia porque ele não existe. Tem que partir para o psiquiatra mesmo, reuniões de grupo com o mesmo problema, aliás, está aumentando o número de Devedores Anônimos, no mesmo caminho dos Alcoólatras Anônimos.  Então, que nem o alcoólatra tem que parar de beber, o drogado de cheirar, o fumante de fumar, o oniomaníaco tem que parar de … comprar.

 

 So just to close the prose borrowing this week.

Pay attention to the questions that I do now. If yes to more than three, get help.

Beginning.

You do not resists the urge to buy anything you see?

You spent more than planned?

You’re hurting the people around them because of purchases?

You can ‘get rid of any way to buy?

You have noticed that you’re buying things that are not used?

You have assumed debts five times higher than your income?

What’s up?

Then, it’s all right.

Cheers and Axe.

Então, só para fechar a prosa devedora desta semana.

Preste atenção nas perguntas que vou fazer agora. Se for sim a mais de três, procure ajuda.

Começando.

Tu não resistes ao impulso de comprar qualquer coisa que vê?

Tu gastas  mais do que o planejado ?

Tu estás prejudicando as pessoas à sua volta por causa das compras?

Tu não consegues se livrar de jeito nenhum de comprar?

Tu já notastes que estás comprando coisas que não são usadas?

Tu assumistes dívidas cinco vezes acima da tua renda?

E aí?

 Então, tá.

Inté e Axé.


 

Começa hoje o maior julgamento de corrupção no Brasil
40 defendants, 500 witnesses, 50,000 pages in the process.
Eleven judges, if there is’nt suspicion, at the Spreme Court.
Ex-Ministers of the government of President Lula.
President who appointed some of the chief judges.
Agents of the Rural Bank.
Advertising. Men of politica publicity.
Politicians allied with the current government Dilma.
PT leaders.
Total sum stolen?
Add yourself directly on the site of the prosecution.
Ask for complete charge of the Attorney General’s Office.

Click the link

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_pdfs/INQ%202245%20-%20denuncia%20mensalao.pdf/view

Começa maior julgamento de corrupção do Brasil

40 réus, 500 testemunhas, 50 mil páginas no processo.

Onze juízes, se não houver suspeição, do Supremo Tribunal Federal.

Ex-ministros do governo do presidente Lula.

Presidente que nomeou alguns dos juízes supremos.

Agentes do Banco Rural.

 Publicitários.

Políticos da base aliada do atual governo Dilma.

Dirigentes do PT.

Total da importância roubada?

Some você mesmo, direto no site do Ministério Público.

Peça completa da acusação da Procuradoria Geral da República.

Clique no linque acima.

« Página anterior