Pois é. 
              Parodiando o nobre mulato gaúcho-mangueirense  (Tim Lopes, ler Ofertório), informo estar dando  linha à pipa  para a  extinta companheira, morta numa praia deserta em Santa Catarina, onde deixou com vida o ex-esposo, agora batendo em outras caras que nem as dela, nunca mais inteiras embora caras-metade, parecidas com dezenas de outras batalhadoras companheiras jornalistas que contrapartilhavam as surras a  domicílio com os desmandos no trabalho ganho com o suor do rosto, tarefa que teria sido dado aos machos, no lançamento da praga divina aos descendentes de Adão,  mas que elas acumulavam com o resultado da trepação inconcluída mas o suficiente para o fardo dos nove meses .
         É este, portanto, o tom das almas penadas femininas que passaram pela Rádio Nacional, desde os velhacos tempos do Herivelto colocando chifres na Dalva enquanto o Orlando caía de beiço nas seringas da heroína no mesmo banheiro de onde foram salvaguardadas, na fase final, algumas preciosas gravações saídas do mofo para entrar na histório da Rádio Nacional através do trabalho feito pela BBC em Londres, em cinco LPs, CDs e agora DVDs, pois a terra move mesmo, sô.
        Bom. Vamos à luta, então, seus fantasmas de merda, que vão e voltam, encarnam e desencarnam e nunca conseguem escapar, vivos ou mortos, desta praga viciosa chamada rádio.
       Com isto, dou início á ata de fato da Assembléia Geral dos Fantasmas da Rádio Nacional. Avante porque esta fala não é rala e nem cala.
Antena radioativa - photo by Mamcasz
           Diante da urgência de medidas concretas para estancar o aumento da radiação e da insalubridade que continuam colocando em risco a saúde e até a vida dos funcionários, nós,  seus legítimos representantes na CIPA II, a quem devemos compromissos assumidos, e diante da morosidade da empresa em tomar as medidas legais para a nossa posse, um mês depois da eleição, contamos com o seu apoio, através deste abaixo-assinado, que será encaminhado à Delegacia Regional do Trabalho  e  ao Ministério Público do Trabalho, com a   exigência de envio imediato da fiscalização   da DRT-DF,  junto com a equipe do Corpo de Bombeiros, para realizar uma perícia completa, inclusive medição da radiação, em todo o prédio-sede da EBC, na 702 norte, Brasília. Este é o nosso primeiro ato:

 

Brasília, 12 de setembro de 2008.
Nome completo                                                                             Assinatura

 

 
         Moral: Foram colhidas 237 assinaturas. Até hoje, não deu em porra nenhuma. A não ser, mais casos de câncer e mortes. Continua tudo na lesma lerda ( modo politicamente correto de dizer na mesma merda).
Anúncios