Tem uma porção de shows de graça aqui nesta época em Berlim.

É só prestar atenção na bolinha verde na revista Tip Berlin.

Pois fui num deles, no Café Tasso, que  me lembrei do amigo Flavinho, que não se encontrou comigo aqui em Berlim porque foi para Barcelona e depois para Paris.

O café, na verdade,  é uma velha livraria dos tempos dos comunistas e fica na maior avenida da época dos invasores vermelhos, junto ao metrô Frankfurt Tor, na Karl Marx Alee (o velho).

Tem livros ótimos a um euro, móveis superantigos, alguns já desbotados pelo tempo, e o atendimento bem do leste, como se diz aqui, ou seja, o comunistão controlando o caixa, o ex-assessor da Stasi ajudando a controlar e um serviçal, no caso, um argentino que sofreu lavagem cerebral, no papel de controlado.

E o pior é que no dia em que estarei embarcando de volta estarão fazendo uma homenagem ao grande Tom Waits:

 

Anúncios