Pois foi deste Palácio Real, em Paris, perto do Louvre e do Jardim das Tulherias, que a rainha dita Maria Antonieta saiu escorraçada pelo povaréu que a conduziu primeiro à prisão, na beira do Rio Sena, e depois, numa velha carroça, até a praça da Bastilha, onde teve a cabeça cortada e jogada pros cachorros.

 Tempos depois, a nobreza se vinga do Zé Povinho e manda o falso imperador, dito Napoleão, apodrecer numa ilha distante. Tudo bem que o Napoleão hoje dorme tranquilo num puta palácio, o dos Invalides, olhando para a Torre Eifel e a casa do pensador Rodin, que tinha um caso com o  Balzac, o que deixou a Camile Claudel tão doidinha quanto a Maria Antonieta na foto abaixo, com a lua cheia em riba.

 Palais Royal

 Au revoir que vou dormir com a Brigite Bardot – na quinta começa a exposição dela e dos anos 60.

Anúncios