“Os bispos têm o dever de emitir juízos morais, mesmo em matérias políticas”. 

Foi  o que disse hoje o alemão Papa Bento XVI (16, ó estulta colega) em sermão a um grupo de religiosos tupiniquins da Regional Nordeste da CNBB.

“Portanto,  devemos recusar   qualquer  ambigüidade”.

E arrematou o lance:

“Quando os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. GS, 76).”

Para acabar de vez:

“Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vitæ, 74).”

 

Leia na íntegra, no original:

“Quando si tratta di difendere la vita e la dignità della persona i cittadini hanno il diritto-dovere di usare liberamente lo strumento del voto politico per la promozione del bene comune.”

 http://www.vatican.va/news_services/or/or_quo/text.html

Piadinha escrota:

Será que não teria alguém encarregado de preparar um dossiê contra o Papa?

– Frei Beto? Frei Bófi? Pedofilia?

Perguntinha sacana:

No caso dos bispos vermelhos (Nelson Rodrigues), eles poderão ser ex – comungados?

 

Anúncios