Na primeira viagem com minha ex-noiva, pela Europa, a gente se viu junto da explosao nuclear de Chernobill, Ucrania, URSS.

Depois, na Africa, teve a moscona que provoca o sono que nunca acaba.

E agora, o tal to tornedo que acaba me tornando cada vez mais estranho.

Pelo menos para os outros.

Que eu me entendo.

Mesmo que desesperado, no Texas, 38 graus, ventania, numa cidade chamada Albany.

A gente acaba logo louco neste tornado.

 

Tem mais ainda.

No meio do tornado, aqui no Texas, a gente enxerga tudo virado.

Ate a india xeroqui, quem sabe xavante, me deixa zonzo

Olha que ainda tento jogar o lero

I`m from Brazil, babe.

Mas vejo tudo tornado, meu.

Deve ser este ice tea de meladona:

Putz, meu.

Ta tudo torto neste tornado aqui nos States, 2011.

Puta tea.

Cacique dos grandes.

Mesmo o dito macho, gay cowboy, se ajoelha e reza:

Vou te contar uma thing.

Este tornado de meladona acaba com a gente.

Deixa tudo sem miolo, cerebelo, cabeca, meu.

Deve ser o velho vento vagabundo.

Viva o nego catarina Cruz e Souza.

Ele na certa ia entender o que vejo aqui no tornado USA-2011.

A ultima vez que me senti assim tao tornado que nem aqui nos Estados Unidos foi na Bahia, quando eu era hippie e mastigava umas sementes.

As casas parece que somem.

Preste tento na seta que aponta para cima.

Coisa de crazy.

Anúncios