USA 2011



Aqui Berlim. Direto da Alemanha, o grande vitorioso derrotado em Guerra Mundial da qual o Brasil sempre participa mas a prosa é sobre as 25 Forças Armadas consideradas as mais “fortes” hoje no Planeta Terra.

O estudo foi divulgado pelo site fribbla.de em que detalha o que é levado em conta, aqui devidamente traduzido para o nosso linguajar tupínico:

A tecnologia utilizada , os gastos com armamento e, por último mas não menos importante, as táticas de combate interno podem ser uma característica decisiva.”

emfa5muro

A listona

Surpreendem a Alemanha, com o considerado oitavo exército do mundo, junto com o Japão, no sétimo lugar, por isso chamados de os “grandes derrotados vencedores”.

Na ponta de cima da destruição, com cada um ainda tendo mais de 7 mil armas nucleares, lógico que estão a Rússia, em segundo, e os Estados Unidos, em primeiro lugar isolado.

Indecoroso é o índice militárico ianque, os Estados Unidos da America da Morte, com gastos indescritíveis de U$581 bilhões por ano em armas (a Rússia gasta U$94 bilhões e o nosso Brasil, U$27 bilhões anuais).

Outros números da Morte Ianque: 7,300 ogivas nucleares, 13 mil aviões de guerra, 9 mil tanques, 500 navios etc e tal.

emfa5bandeira

Os latrinos

Na lista dos 25 exércitos considerados mais “fortes” do mundo estão Peru (25), Argentina (20), México (19) and nosso Brazil, é, no lugar de número 12.

No nosso caso, o estudo aponta os 335 mil militares da ativa , 50 aviões de caça, apenas um porta-aviões, cinco submarinos além dos 600 tanques de batalha. Sobre isso, o estudo divulgado pela Fribbla ultrapassa a ironia pesada ao comentar que a maioria desses tanques do Exército Brasileiro são “obsoletos”.

Sobre o gasto do Brasil com as Forças Armadas, na base dos 27 mill milhões de dólares por ano, a sentença é terrível:

– SERIA MELHOR GASTAR ISTO TUDO COM CAIPIRINHA!!

emfa88

(Manchete na primeira página do Jornal do Brasil em 1988. Ministro-Chefe do Estado Maior das Forças Armadas, brigadeiro Paulo Camarinha, dá entrevista ao presidente interino da Empresa Brasileira de Notícias – EBN – Eduardo Mamcasz. Photo by Sergio Marques).

Para ler a matéria completa clique no abaixo:

https://fribbla.de/insiders/diese-25-laender-haben-die-staerksten-armeen-der-welt/

Então, tá.

Inté e Axé.


What seemed to be a simple news for so large Revista Brazil, on the radio network and a bunch of stations all over Brazil, ended up being one of the most historic radio reports have made throughout the existence of the living-dead ghost-arising-exceeded. The team continued to live up to eleven at night. That night, he had neither the traditional program The Voice of Brazil, through a special permit achieved by then president of Radiobras-EBC, the old radio journalist Carlos Zarur. I remember that the National Information noon and little, in my turn, suddenly, with an eye on the TV images (CNN), I stop talking and change the image for audio:

– And attention. The Twin Towers have just fallen. That’s right, folks. I’m seeing here, live. The Twin Towers of New York, from this moment, no longer exist. Gone. Collapsed. There is only a cloud of dust. Over.

???????????????

https://mamcasz.com/2009/09/10/september-11-2001/

https://mamcasz.com/2010/09/10/sept-11-in-god-we-trust-sera/


Survey of the world’s wealth (GDP) reveals that the average growth of almost 80% led to the extermination of 104 million jobs between 1980 and 2000. North America continues with 32.8% of global GDP

Click

http://snd.sc/LhBTaZ

Levantamento feito da produção mundial de riquezas (PIB) revela que o crescimento médio de quase 80 %  provocou o extermínio de   104 milhões de empregos entre os anos de 1980 e 2000. A América do Norte continua com 32,8% do PIB mundial. 


                                                      FELIZ   ANO   NOVO   POVO

Eu posso ser ou não ter

ano novo também vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que  eu naufrague na ilha da virada

continuemos  eu e você  neste meio que periclitante.

Eu posso ser ou não ter

ano novo também  vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que eu sucumba na praça do embora

enfrentemos  eu e você  os anônimos inoperantes.

Eu posso ser ou não ter

ano novo também vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que eu desapareça nos becos do sem fim

nos veremos eu e você nas penumbras do esperante.

Eu posso ser ou não ter

ano novo também vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que eu vire poeira cósmica do infinito

ressuscitemos  eu e você  no saudoso estilo triunfante.

Eu posso ser ou não ter

ano novo também vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que eu ascenda  degraus amortecidos

abracemos  eu e você  o você do eu incandescente

Eu posso ser ou não ter

ano novo também vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que eu pise no solo da marciana lua

juremos  eu e você  sorver igual gosto triunfante.

Eu posso ser ou não ter

ano novo também vida nova

mas se nos nove fora der quase nada

mesmo que eu tenha menos do que  preciso

dividamos eu e você mais do que o  sobretudo

multiplicado do impreciso e adicionado  improviso

Então, nós devemos

bem lá na frente

em dezembro

2012

nos rever.

 

Inté e

axé!

 

Deste  alguém-ninguém

 

————————–

Eduardo Mamcasz

Zen Poet


Monsanto, Cargil, Bumge e outras mais.

Reis da Soja.

Vendem implementos, inseticidas, ou seja, insumos agrícolas.

Para o plantio de soja, algodão, milho-etanol, maconha, o escambau.

Entregam hoje, para semeadura em setembro, acertam o preço em sacas futuras.

Têm que ser entregues na colheita pelo preço de hoje

E fazem o tal do hedge. Swap. Fuck  na Bolsa. Beleza!

Foi minha monografia no MBA da FIA-BM&F.

Ou seja, uma tonelada de inseminantes por, digamos, 45 sacas de cannabis.

Geralmente, é soja mesmo.

O lero é por conta do artigo com link abaixo e a foto a seguir.

Antes, lembro do pau que a gente quebrava em San Francisco,CA.

Expliquemo-nos. Durante um curso.

Gringo acusando nós brazukas de acabar com a Amazônia.

E a gente retrucando no ato:

– e os vossos índios, cara pálida?

Se temos os heróis bandeirantes, tendes o John Waine, Mané.

Tem ainda, no link abaixo, justicemo-los, o Vietam.

A Monsanto, rainha da soja, fazia o agente laranja.

O desfolhante usado, para nada, no Vietnam.

Não entrava no buraco do tatu.

De onde saíram os kong e comeram os red neck.

Mas, falando isto, puxa aquilo.

Foi na minha viagem ao Vietnam do Norte, faz pouco.

O guia do partideco se apaixonou pelo garotão ianque.

Mas não me deixou conversar com uma adolescente local.

Nem lhe dar um carinho e cafuné, camuflados.

 Tipo Caramuru, vem cá que te taco fogo.

Que nem fazem os gringos na Amazônia.

Mas agora, vem aí a denúncia:

Moral da Prosa.

Nesta semana, tem mais uma reunião da SBPC, no Goyaz.

Tás lembrado da SBPC da época da fechadura?

Uma beleza.Tinha mina ativista de montão dando sopa.

Prato cheio pros poetas da Libelu.

Mas de volta para o sumiço da floresta amazônica.

E a entrada da soja que ultrapassou o cerrado.

Aliás, tá cada dia mais difícil pastar  baru, cagaita…

Por isso, antes de colocar o link, arremato:

 Enquanto isto, s ongueiras, nesta semana, na SBPC de Goyaz,

Só enchendo o  rabo de pequi …

(Me desculpe o termo. Acho que vou durar pouco no Facebook).

Então, em nome da moral, corrijo o termo:

Só enchendo o rabo de suari …

Tá legal:

De Caryocar brasiliense …

Ah, o link:

http://foodfreedom.wordpress.com/2011/07/08/monsantos-agent-orange-being-used-to-clear-brazils-rainforest/

Mais uns de arremedo de pesquisa:

http://blogdogh.spaceblog.com.br/87875/Episodio-5-Amazonia-ONGs/

Acabo de saber:

http://jaimesautchuk.blogspot.com/2011/07/materia-sobre-agente-laranja-agita.html?spref=fb


Martin Luther King. Budha. Mahtama Gandhi.  Maomé!

Krysto, sem as frescuras das ínfimas carolas.

Já o Martin Luther King, prum país KKK ( cruz, cruz, clã), branquelo, USA,  é super.

Inda que um nego, Harvard, esteja na Presí.

Falso negro, sorry Mr Ozama.

Mas eis aí abaixo foto da primeira igreja onde o pastorzinho MLK pregava.

Birminghan, Alabama, USA pobre de marré.

Donde começou a marcha contra negrinho usar lugar no ônibus separado do branquelo.

Nem podia mijar no mesmo penico, meu. Phode?

Mas a negona dar o  peitinho (hummmm…) pro branquelinho mamar, tudo OK.

Translate, Google, vai, Mané!!!

Ah… a photo abaixo é uma produção conjunta.

Eu, Eduardo Mamcasz, e Cleide de Oliveira.

Uma neguinha que encontrei nos USA e trouxe cá prá minha  casa grande.

Ela lava, passa, enxágua, bochecha e muito mais.

Vero!!!

 E aí, meu, num tá demais?

 Confessa, ou te levo prá Guantanamo, Kuba, maior acerto entre USA e Fidel Castro.

El Comandante Fidel tá em Miami tratando da próstata dele.

Seria prostrata?

Junto de Fidel, o Chavez, vulgo Hugo, no mesmo local prostrado. Ou seria bostado?

Vai, gúgui, translate this sheet. É assim mesmo que se escreve MERDA?

TORTURA UNIDA, JAMAIS VENCIDA.

 PORRA!!!!

Me desculpe, extrapolei…

Sorry, viste?

Go to Google to translate this crazy words, manezinho!

11


Baixaria!

Tô cá no Mississipi, no meio dos negos que recebem Bolsa Family.

Pobres de marré.

Mas tão pobres e sem buraco na rua.

Com Wifi, banda larga, tudo free, na boa.

Por isso, amargando a volta pro meu Varonil País, acesso o Estadão:

 

Vai daí que tô aqui numa boa junto dos negos jalofo, tonga, edo ou andongo, sei lá, meu.

E num lugarejo pior do que Caetés, chamado Lula.

Ide ao google: lula, mississipi, usa.

E então, fato posto, os negos gargalham e me ensinam isso aqui, ó, mana:

E aí, meu?

Volto pra este imenso parque de diversão named BRAZIL?

Ou continuo ilegal por aqui mesmo?

Hein?????

Pras manas mensaleiras:

Fuck you!!!


Incrível como os gringos, e não parlo de Hollywood, presersam os cenários dos fimes.

Fico assim pensando se a gente tivesse guardado os cenários do Glauber Rocha.

Deus e o Diabo na Terra do Sol.

Não falo de Brasília.

Isto posto, estou passando, pela segunda vez, num lugarejo entre Atlanta e Macon, na Georgia on My Mind, USA.

Lugar da filmagem de Tomates Verdes Fritos.

Pois Juliette é o nome do lugarejo onde foi filmado

TOMATES VERDES FRITOS.

O cenário está tal e qual.

Aliás, isto me lembra que está na hora de voltar para Brasília a tempo, ou seria há tempo, de ver

A MARCHA DAS VADIAS.

Vai ser no dia 18 de junho, tem a ver com o Canadá.

Meio que parecido com a

MARCHA DAS MARGARIDAS.

Tem a ver com Maria da Penha.


Pois é justamente neste Twistle Stop Cafe que acontece tudo no filme

TOMATES VERDES FRITOS.

Tem o maluco, o xerife local apaixonado pela menina forte que tem como amiga a falsa fraca, que ali chega cansada de apanhar do marido que acaba seguindo-a até lá e aí acontece o melhor do filme.

O machão é justamente morto, não fica claro por quem, a menina forte assume, mas não foi ela, tanto que até o pastor local jura sobre a Bíblia, ainda que tipo santo do pau oco, isto é de Minas, uai.

Resumindo.

Neste local, foi no filme, mas parece real, tanto que fiquei cismando fazer o mesmo com uma pessoa inimiga.

Brincadeirinha…

O negão acaba servindo o famoso B.B.Q. (churrasco) justo pro xerife da cidade do machão.

Mas os dois babacas nem imaginam que um está comendo o outro.

Pois o machão morto foi cortado em pedaços.

Com isso, some-se a prova da evidência.

Até porque o poliça o come.

E até elogia o churrasco, ops, a tenra carne do amigo.

Triste fim de todo machão.

T H E    E N D


Estou cá no Mississipi, USA, e para matar a saudade de Caetés, Brazil, invado um
canavial onde, no meio, descubro um alambique.

Sorvo uns baitas goles e ainda levo um galão no gibão de couro.

Me lembra, e chego a jurar que se trata da velha 51.

Pois chega a trote o resultado:

1 – Eu que bebo

e são os outros que soltam um terrorista condenado na Itália por crimes de sangue.

2 – Eu que bebo

e me vem o ex-Lula e me diz que, realmente, ao contrário do que havia lido na imprensa oficial, o

PALOCCI FOI DEMITIDO.

Uai.

 É o que dá beber.

Só falta me aparecer a polícia companheira e me expulsar daqui.

Mulher é que não me falta.

Por isso, vou dar no pé, rapidinho.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/927312-lula-diz-que-palocci-foi-demitido-no-momento-http://www1.folha.uol.com.br/poder/927312-lula-diz-que-palocci-foi-demitido-no-momento-certo.shtmlcerto.shtml


Estive nos túmulos de Mahatma Gandhi, em Nova Delhi, e no de Martin Luther King, em Atlanta, Georgia.

Os dois são enormes na teoria do derrubar pelo não-agir, pela não-violência e tal.

Os dois lugares são cheios de magia amortecida.

Mas sentimento mesmo sinto agora em Birmigham, Alabama.

Na mesma praça onde começou a famosa March Route.

Os negros a pé, do Alabama até Washington.

Contra a segregação racial nos ônibus, bares e bebedouros.

A polícia branca começou matando negros logo ali, na praça.

Em frente à Sixteenth Street Baptist Church.

Justo onde pulpitava um jovem pastor.

Martin Luther King.

Que depois acabou sendo morto.

As fotos falam:

   




Bom Memorial Day.  Maior holliday nos USA. Última segunda de maio. Enforcada com a sexta. Maior farra em memória dos que morreram na defesa da Patria que os pariu. Vale tudo que lado: indios, pretos, cubanos, vietcongs, coreanos, alemanos, chicanos no Alamo e japas.

Tanto que o juramento que cada presidente, prestando ou não, faz na posse, mão na Biblia e tudo, tem a ver com a promessa de acabar com todos os inimigos, internos ou externos. Tipo Cavalo do Apocalipse. A foto abaixo foi tirada diante do Capitóio de Jackson, capital do paupérrimo, pelo menos na pele dos ainda
negros, Mississipi:

O Memorial Day se trata do segundo maior mandamento norte-americano,  vem depois do Te Deum, dia de agradecer pelo leite derramado, coisa que nosotros latrinos nos esquecemos, por pensarmos apenas no pedir, mendigar, solicitar e chorar. Mas o Memorial Day Ianque lembra das lambadas e lambancas,  tipo derrotas no Vietnam, ou, pior, pegos de surpresa pelos japas, em Pearl Harbor, ou pelos talibanos, em Nova Iorque. 

Lógico que neste Memorial Day nunca se lembram dos negros mortos na epoca da KuKluxKan, ou dos indios que pelo menos reagiam antes de morrer. Por isso a foto da bandeira americana, abaixo, em foto tirada em Atlanta, Georgia, e alhures, mesta viagem  on the road again, USA:

 

Vai entao que num cemiterio perdido na poeira, pobreza e abafados  40  graus centigrados de calor, entre Mississipi e
Alabama, presto minha memoria a uma figura cujo nome consta no Monumento aos Pracinhas da Segunda Guerra, no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, ninguem sabe disso, mas ele lutou na Italia contra os alemaes, ao lado dos norte-americanos e outros ditos mui amigos.

Acontece que meu homenageado especial neste Memorial Day,  acabou os dias esquecido, sem uma perna,
alcoolatra violento, neurotico de guerra, abandonado pela mulher, cansada de apanhar dele, ficaram os filhos, ou seja, meus irmaos.

Mesmo assim, o meu Memorial Day de 2011 vai para meu pai, cabo Bernardo Mamcasz, na foto ainda sonhado noivo de minha future mae, dona Lola, os dois sumidos neste 
Memorial Day:


Se em San Francisco tem a Columbus, em Menphis a Billie Street, em Chicago a North Halstet, em New Orleans o Frech Quarter,  tudo de musica e agito noturno, o papo em Austin, Texas, gira ao redor da 6th St, considerada monumento nacional,devidamente tombado, inclusive as pernas das mulheronas texanas.  

O blues de Austin, Texas, tem renome nacional e inclusive uma
batida diferente, com destaque para a guitarra, mais parecendo roqui mesmo, ainda mais se a prosa for num dos bares da Rua Guadalupe, nada turistica e dentro do bairro dos bichos grilos e universitarias pessoas.

 

Agora, para terminar a passagem por Austin, Texas, a cidade do pecado gostoso, texanas grandonas de shortes pequenos, mas nao arrebitados que nem as das brasileiras, na sexta avenida me aparece uma dupla de pastores pentecostais e tais, tipo TEA PARTY, pregando simplesmente  seguinte:

Nao a toa que ao lado dos pastores alemaes e suas crias
espalhadas pelas ruas distribuindo panfletos em defesa da vida depois da morte funciona uma cantina com o interessante nome de CHUPACABRA, ou seja, BELZEBU, EXU, LUCIFER.


Na primeira viagem com minha ex-noiva, pela Europa, a gente se viu junto da explosao nuclear de Chernobill, Ucrania, URSS.

Depois, na Africa, teve a moscona que provoca o sono que nunca acaba.

E agora, o tal to tornedo que acaba me tornando cada vez mais estranho.

Pelo menos para os outros.

Que eu me entendo.

Mesmo que desesperado, no Texas, 38 graus, ventania, numa cidade chamada Albany.

A gente acaba logo louco neste tornado.

 

Tem mais ainda.

No meio do tornado, aqui no Texas, a gente enxerga tudo virado.

Ate a india xeroqui, quem sabe xavante, me deixa zonzo

Olha que ainda tento jogar o lero

I`m from Brazil, babe.

Mas vejo tudo tornado, meu.

Deve ser este ice tea de meladona:

Putz, meu.

Ta tudo torto neste tornado aqui nos States, 2011.

Puta tea.

Cacique dos grandes.

Mesmo o dito macho, gay cowboy, se ajoelha e reza:

Vou te contar uma thing.

Este tornado de meladona acaba com a gente.

Deixa tudo sem miolo, cerebelo, cabeca, meu.

Deve ser o velho vento vagabundo.

Viva o nego catarina Cruz e Souza.

Ele na certa ia entender o que vejo aqui no tornado USA-2011.

A ultima vez que me senti assim tao tornado que nem aqui nos Estados Unidos foi na Bahia, quando eu era hippie e mastigava umas sementes.

As casas parece que somem.

Preste tento na seta que aponta para cima.

Coisa de crazy.

Próxima Página »