março 2011



 https://mamcasz.wordpress.com/2010/03/30/os-radionautas-do-passado-no-pais-sem-futuro/

Anúncios

” The white clothes of fellow goes to show, without any hurry, each piece of meat on the overshoot. Then she refix a  long look in the mirror, memory spattered with white toothpaste. Lonely Lady, my cordial good day. Remembrances to the cream on your past face. Good job. “

( From the book Pigenhole of Unfinished People)

*

“ A alva roupa da colega passa a revelar, sem pressa alguma, cada pedaço de carne no passar do ponto.

Então, ela refixa o olhar demorado na memória do espelho, respingado de branco da pasta dental.

Sozinha Senhora, meu cordial bom dia.

Lembranças ao creme presente no teu rosto passado.

 Bom trabalho. ”

( Do livro: Pombal de Gente Inacabada )


Jose Alencar, born in 1931, began a life as a clerk and later became a great entrepreneur, president of the Federation of Industries of Minas Gerais, senator and vice president of Brazil,  in the two Lula’s governments. For ten years  he was fighting a battle against cancer. This, he just lost. By.

  

Produção, Redação e Edição de: EDUARDO MAMCASZ 

Coluna: Trocando em Miúdo 

( Arquivo: Zé Especial – Duração: 03’25”  – Mp3

     José Alencar, nascido em 1931, começou a vida como balconista e depois se tornou um grande empresário, presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais, senador e vice-presidente do Brasil,  nos dois governos Lula. Há dez anos ele travava uma luta contra o câncer. Esta, ele acaba de perder.

Ouça clicando abaixo e acompanhe no script:

 

 http://snd.sc/h1Icwq

  

TEC/  BG 1 – ZE INICIO – 12” – Vinheta Trocando em Miúdo, com Eduardo Mamcasz e entra José Alencar  cantando: meu Senhor do Bonfim, arranje outra morena igualzinha pra mim).

LOC/ José Alencar Gomes da Silva. Nascido em Itamuri, distrito de Muriaé, numa família de quinze irmãos, no dia 17 de outubro de 1931.  De auxiliar de balconista a presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais. Senador e vice-presidente do Brasil nos dois governos do presidente Lula. 

TEC/  BG 2 – ZE LULA – 3” (Acreditava nele, como continuo acreditando).

LOC/ O Zé Alencar, como gosta de ser chamado, nunca tem   meia-palavra, apesar de ser mineiro. E não adianta chegar para José Alencar e sugerir  que deixe esta questão de juros para os técnicos, os economistas, os burocratas, os financistas e tal. Não tem conversa.

TEC/ BG 3 – ZE JUROS  – 4” ( Nós temos que compreender isso. O país é um grande empresa. Alguns trabalhando diretamente. Outros, vivendo de quem trabalha).  

LOC/ A mesma coisa contra o número exagerado de  impostos cobrados atualmente no Brasil. José Alencar, ex-grande empresário do setor de tecidos, nunca  se cansa de defender  a existência de um imposto que seja único. Até porque …

 TEC/ BG 4 – ZE IMPOSTO – 5”   (A fiscalização seria uma só, em cima de um só imposto e  todos iriam contribuir).

 LOC/ Mas no meio do temporal de palavras, quando, por exemplo, estouram os escândalos, a corrupção, o vice-presidente sempre tem, na ponta da língua, uma observação  básica.

TEC/ BG 5 – ZE CORRUPCAO – 12”  ( Não sei se as pessoas teriam coragem de me propor qualquer coisa errada. Eu não sei. Eles têm a certeza antes de que eu não vou acompanhar … (cantando: um abraço, sorriu, pediu a mão, não quis dar, fugiu…). O problema é o seguinte. Você já ouviu falar. O porco magro é que suja a água.

LOC/ Tu sabes o que mais deixa triste o Zé Alencar saído de Itamuri, no interior de  Minas, para ser auxiliar de balconista na cidade grande, migrante de marmita e dormindo no banco da estação de trem?

TEC/ BG 6 – ZE MIGRANTE – 5” (Foram as migrações dos brasileiros, até clandestinamente, para os Estados Unidos e para outros países. Orientados por que? Nós nós não estamos aproveitando o potencial da economia brasileira…).

LOC/  Outra tristeza que José Alencar demonstra   nas   tantas idas a hospitais para a longa batalha que trava com o inimigo,  não é com o câncer, mas com o fato de ali ele ser tratado como vice-presidente do Brasil.

TEC/ BG 7 – ZE SUS – 10” (Os brasileiros não têm este mesmo tratamento e isto não me agrada, eu fico triste. Eu às vezes fico até mesmo me sentindo culpado).

LOC/ Mas agora, José Alencar está tranquilo. A luta dele contra o câncer está acabada. Infelizmente, venceu o câncer. Mas ele está com mais tempo para fazer o que mais gosta, principalmente, cantar:

 TEC/  BG 8 – ZE FINAL – (um abraço, sorriu … é da sua conta … eu ando louco de saudade … então, tá … trocando em miúdo, com Eduardo Mamcasz … pediu a mão, não quis dar, fugiu… meu Senhor do Bonfim, arranje outra morena igualzinho pra mim).

 

 


Tô eu aqui,  à janela do escritório do meu apartamento,  final de tarde e da Asa Sul, e de repente sou assim presenteado pela Mamãe Natureza que, sei lá o porquê, alhures se enfurece mas, comigo, não, olha só o presente que acabo de ganhar:

 

http://communaute.lachainemeteo.com/communaute-meteo/meteo-brasilia_bresil/phenomenes-optiques/photo-mon-prope-arc-en-ciel-a-brasilia-59682.php


Olha que coisa mais linda que cheia de graça que quando ela passa…

Não. Esta é de Ipanema.

O povo, unido, jamais será vencido!

Foi, mané.

Ah. Bandido, unido, jamais será vencido.

Tanto no Nordeste quanto no Sudeste, o código deles é o mesmo.

Que nem nazista marcando casa de judeu.

Ou goiano o gado  roubado.

Casa que tiver um destes símbolos, o ESCAV passsou antes:


                        Abatido por forte gripe, pior do que levar surra de mulher de malandro, aproveito hoje para, em defesa da democracia arábica, colocar posições antagônicas de dois compadres queridos, presentes em meus links preferenciais.

                         Do compadre Lessa, tem a observação de que o blog dele é pago, ou seja, ele paga 191,40  réis, plural de real,  por ano, de hospedagem, ao contrário do blog da ex-mana Bethânea, que é comprado, ou vendido, entendo pouco deste papo do mercado de valores acima do milhão.

                        Da outra parte, o compadre Turiba, ex-assessor do ministro Gil,  posteia: poeta defende blog de poesia de Maria Bethânia, com a conversa que está havendo um linchamento na internet e coisa e tal.

                      Da minha parte, no meio dos dois compadres, arremato num post na fase pré-Obama: – Carcará, pega, mata e come a Maria Bethânea. Ah… já que sou o mais pobre, porque este blog é de graça, ou seja, não é pago e nem é comprado, uso o famoso contra C contra V do Lessa para esta pérola:

 

 

Ainda em cima desta conversa de amigos, a assessora do deputado Tiririca é outra amiga de casa, a Edith, curitibana que nem eu, ou de alguma terra roxa  lá por perto.

Os três são convidados para minhas doces e disputadas caipirinhas, aqui em casa, sempre dentro do espírito do mestre Mevlana, o santo muçulmano parecido com o meu predileto Chico de Assis, os dois chegados a um transe místico.

Quanto estive em Konya, Turquia, onde o mestre Mevlana está enterrado, era começo de noite, da rodovária peguei o hotel mais próximo, vindo de Istambul e a menina curda da portaria, lindíssima, me perguntou:

– Você veio para o festival dos Sufistas? até o presidente está chegando. É o maior do mundo.

  Fiquei mudo, arrepiado, e ela me conseguiu dois ingressos, eu e mais a gata na minha cola há mais de 30 anos. Outro dia, eu falo disto. Agora, dedico aos três amigos mosqueteiros o que trouxe de lá e, aliás, vive pregado na minha porta de entrada:

Seja bem-vindo

Sejá lá quem for você.

Ateu ou  terrorista, entre.

Esta casa não é dos desesperados.

Come, come, whoever you are.

Unbeliever, fire worshiper, come.

Our way is not one of desesperation.

Even if you break your vows a hundred times.

Mesmo que tenha me traído umas mil vezes.

Come. Come again, and again.

(Mevlana Jelaluddin Rumi)

4

http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/feira-livre/um-video-satiriza-o-blog-da-bethania/ 

3

http://claudiolessa.com/2011/03/16/donana-de-hollanda-veja-a-fatura-abaixo/16/18/08/

2

http://blogdoturiba.blogspot.com/2011/03/poeta-defende-blog-de-poesia-de-maria.html

1

https://mamcasz.wordpress.com/2011/03/17/carcara-pega-mata-e-come-a-maria-bethania/

 


Nós acá em Brasília somos assim mesmo e a gente até se comenta:

Candango é um baiano sossegado que passou uns tempos em Minas.

E não deu outra.

Obama chega na Praça dos Podres Poderes.

3.500 meganhas (federais, goianos e internacionais).

E o povo?

Nem o vendedor de milho pros pombos apareceu.

Só a Chefe do Cerimonial do Brasil.

Mulher do Chefe do Itamaraty.

Aqui em Brasília, é assim mesmo.

Tudo consanguíneo, entendes?

E dona Dilma ainda fica em pé, esperando pelo patrão nosso, durante 17 m 19 s.

 

Próxima Página »