O grande circo da corrupção no Brasil

                   The Attorney General’s Office, Roberto Gurgel,

 chain asks for 36 of the 40 defendants

of the “most scandalous corruption scheme” never before happened in Brazil.

To submit a formal complaint,

more than five hours of presentation of overwhelming evidence.

 I followed every step of finally restart this proce.

                    O Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, pede cadeia para 36 dos 40 réus do “mais escandaloso esquema de corrupção” nunca antes acontecido no Brasil.

                     Para apresentar a denúncia formal,  foram mais de cinco horas de apresentação de provas cabais. Eu acompanhei cada passo do, finalmente, recomeço deste processo.

                   Acompanhe-me, do final para o começo. O que estiver entre “ásperas”, é do procurador. Palavrão indignado, tipo fuck you, é meu mesmo. Até porque o Zé Povinho de merda não está nem aí.

 The End.

                  Procurador-Geral da República do Brasil pede cadeia  imediata dos 36 dos 40 da Quadrilha do Mensalão do PT por desvio de UM BILHÃO E SETECENTOS MILHÕES DE DÓLARES. Tudo comprovado.

                   E o procurador termina com esta frase, parece ironia, do muso do PT, o Chico Buarque de Holanda, que aparece logo avante, no caso da Ana Arraes, do TCU, e irmã da ministra da Cultura.

Leia a letra

 http://letras.mus.br/chico-buarque/45184/

 Ouça o som:

http://letras.mus.br/chico-buarque/45184/

                     Continuando a apresentação da denúncia do procurador da denúncia do Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, no processo contra o Mensalão do PT.

 Final menos 1 –  19h20m

LAVAGEM DE DINHEIRO. Banco Rural e PT. O procurador explica como se faz. Eu aprendi. AUTOMAÇÃO DE RETAGUARDA. (????????) Simples mas extremamente eficiente, garante ele. Um saque por semana, sempre de mais de CEM MIL REAIS cada. O Banco Rural tinha os registros e não informava o Banco Central. Era para o controle interno da QUADRILHA do PT. “Dinâmica delituosa”.

 Final menos-  219h03

             Banco Rural. Gestão fraudulenta. Contratos fictícios para financiar operações ilícitas do PT. Doações em troca de favores do governo. Nunca foram empréstimo porra nenhuma. Sem qualquer cadastro. Informações falsas. Tudo a nível de direção. “Nenhum gerente seria louco de assinar”(RG). Absoluta negligência. TRINTA E QUATRO MILHÕES de reais na sexta renovação.  Teve outro, de DEZ MILHÓES. E mais outro…

 Final menos –  19h13

                O absurdo da situação, segundo o procurador. Delúbio avalizou empréstimo no Banco Rural, pelo PT, no valor de SEIS MILHÕES, dando como uma garantia um velho carro COROLA. “E nem o PT tinha condição de pagar, porque estava com as contas negativas”(RG). E estava com nota de risco H, a mais alta. “Nenhuma agência bancária no resto do mundo teria concedido este empréstimo”. (RG). E digo eu: PQPT. Outro contrato. DEZENOVE MILHOES. Renovado seis vezes, sem qualquer pagamento, com o valor chegando a TRINTA E DOIS MILHOES.

 Final menos 4 –  18h53

                        Sobra para Ana Arraes (deputada federal, mãe de Eduardo Arraes (PSB-go vernador Pernambuco, filha de Miguel Arraes, cacho de Chico Buarque de Holanda). A decisão dela, ministra  no TCU,  beneficiando Marcos Valerio,  foi derrubada logo em seguida. O procurador-geral diz que não se está tratando da privada mas da coisa pública. Ela errou feio. A empresa de publicidade, DNA, pegou dinheiro, comprou bonus, se tivesse lucro, passaria para o Banco do Brasil. Teve mais de dois milhões de reais. Lógico que não repassou porra  nenhuma. Mas, atenção,  entregou tudo para a Câmara dos Deputados, onde estava, na presidência, adivinhe, João Paulo Cunha, do PT.

 Final menos 5-  18h44m

                     “Versões inusitadas é que não faltam nos autos”(RG). Segundo o procurador, a desculpa apresentada por Henrique Pezollato, diretor do Banco do Brasil, foram “esfarrapadas e esdrúxulas.” E digo eu. Quase C E M   M I L H Õ E S.  Outro Crime de peculato. 2 milhões e 900 mil reais. P.Q.P.T.

 Final menos 6 – 18h36m

                       Detenho-me agora na figura de Paulo Rocha-PT do Pará. 853 mil reais, em prestações. Mais 200 mil num quarto de hotel, direto do  Valério. Mais 200 mil através do Charles Dias, via Simone. Mais 300 mil ao vivo, embalado. Um mês depois, mais cem mil. Tudo em BH. Desta vez, seria um cheque, com recibo. Agora, deputado João Magno. 360 mil reais mensalados. Agora, eu. Puta qui pariu, quanta grana. Finalmente, professor Luizinho, VINTE MIL REAIS. “Professor pobre”- recanta madame.

 Final menos 7  – 18h20m

                 Agora, desvio de recursos do BANCO DO BRASIL. Esquema ilícito para o Banco Rural. Empréstimo fraudulento. Desvio recursos públicos. SETENTA E TRÊS MILHÕES E OITOCENTOS MIL REAIS. P.Q.P.T.

 Final menos 8 –  18H15m

                  “Os recibos eram informais”(RG). João Paulo Cunha-PT- retirou para uso próprio 250 mil reais da Câmara. Contratou o jornalista Luis Costa Pinto. Blá-blá-blá. Assessor pessoal. 22 mil reais por mês. Desvio de 250 mil reais num ano.

 Final menos 9 – 18h19m

                Sai João Paulo Cunha da presidência da Câmara. Diz que não tinha a posse do fruto do roubo. “A posse não é só o poder material, mas a possibilidade de vir a usar…”(RG). CONSUMOU-SE ASSIM O CRIME DE PECULATO.

                                 Final menos 10 –  18h03m

              PT. João Paulo Cunha. Lider do PT na Câmara. “Intensos contatos” dele com M.Valerio. “Ligação tão estreita. Firma Valério ganha licitação de publicidade Câmara. Em troca de 50 mil reais. Banco Rural. Esposa Márcia Regina foi buscar o dinheiro já lavado. “Causa perplexidade” não ter usado o sistema “tão aberto e singelo”do doc transferido por banco. “Pobreza”- canta madame aqui a meu lado.

 Final menos 11 –  17h55

               PT e PMDB. Delúbio indicava os beneficiários ao banco. Uma vez, José Borba se recusou a tirar xerox do documento (deputado federal). Mandada outra pessoa, Simone Vasconcelos, que tirou os 200 mil e repassou para o Borba. “Forma escancarada como toda a operação era realizada”(RG). Pagina 16.657. Anderson Adauto, o ministro de Transportes, recebeu 950 mil. Em sete mensalidades. Sempe sacados pela Simone. “Em outros casos há pagamentos semanais”(RG). Mas não foram apenas partidos. Já volto.

 Final menos 12 –  17h42m

         “Os pagamentos eram em agências ou hotéis”. Agora, o PTB. Vultuosos valores. Martinez, sendo 700 mil ao vivo. Teve mais. O motorista Jair buscava. “Numa das vezes, chegou a BH num carro forte, tais os valores recebidos neste esquema criminoso.” Roberto Jefferson , 4 milhões e meio.

 Final menos 13 –  17h28m

           Segundo tempo. Mais duas horas e meia pela frente. BMG – mais de 10 milhões de dinheiro público desviados do Banco do Brasil-Visanet. Sete operações de lavagem de dinheiro. No caso do PP. Através do PT. Agora, a vez do Partido Liberal. 8.885,742,00 reais, através de JA…CINTO LAMAS.

 Final menos 14 –  17h15m

        Contrato fictício, retroativo. Série de transferências em dinheiro, ordenadas por Delúbio, PT.Empresa Guaranhuns, “especializada em lavagem de dinheiro”. 6 milhões 745 mil 402 reais em 63 operações de lavagem de dinheiro. Mais a do Banco Rural : 1 milhão já lavado.
Vamos ao bispo Rodrigues. Em troca de votos. Dia 17… 150 mil em espécie.

 Final menos 15 – 16h35

        Mais de 2 milhões de reais movimentados nos dias de votação da reforma tributária. Na reforma da previdência, sacados 950 mil reais. 9 milhões 550 mil reais num período Agora, só dos parlamentares do PP (progressista?) 2 milhões 905 mil reais.

Final menos 16- 16h20m

      Entrega de dinheiro sempre em espécie depois de lavado. O destino é irrelevante. Não se tratou de “singelos acordos partidários”. Houve “nexo de casualidade”. Movimentação de vultuosos valores em espécie perto de grandes votações. E cita um tal de Ja…cinto Lamas recebendo 900 mil reais.

 Final menos 17 – 16h18m

FICA COMPROVADA A EXISTÊNCIA DA QUADRILHA DO PT.

Final menos 18 – 16h16m

                Banco Rural. Saques gigantescos jamais comunicados ao Banco Central. Crime consumado de gestão fraudulenta. Quadrilha… Notável volume de recursos. Empresa no exterior para viabilizar lavagem de dinheiro. Titular. Duda Mendonça.

 Final menos 19 –  16h03m

               Chega a vez do núcleo financeiro, Banco Rural. Não comunicou movimentações suspeitas. Não exigiu garantias. Avalistas classificação H (caindo da mais alta, A). “José Dirceu está, rigorosamente, em todas.”

 Final menos 20 –  16h01

             Chega a vez do núcleo operacional, líder, Marcos Valério. Várias ocasiões teve que contratar carro-forte. Num deles, 660 mil reais. Tinha até, ironicamente, um Comitê de Prevenção à Lavagem de Dinheiro.

 Final menos 20 – 14h39m.

          Começa a peça de fato. Em seis minutos, a estrela do dia, o PGR, Roberto Gurgel, cita cinco vezes o nome de Raimundo Faoro. Não é réu, mas grande jurista. Agora, sim, começa o principal. Ah… ele fala numa falou tal de METAÉTICA. E diz que a PGR apresentou, na verdade, a denúncia (unção do batismo) contra a “quadrilha”do PT em 2006. Estamos em 2012. O procurador, na verdade, é desprovido das qualidades vocais. Ele quem diz. Parece até Voz do Braziu. Isto digo eu. Pronto. Começou por aqui.

Leia o processo do Mensalão:

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_pdfs/INQ%202245%20-%20denuncia%20mensalao.pdf/view


 

Começa hoje o maior julgamento de corrupção no Brasil
40 defendants, 500 witnesses, 50,000 pages in the process.
Eleven judges, if there is’nt suspicion, at the Spreme Court.
Ex-Ministers of the government of President Lula.
President who appointed some of the chief judges.
Agents of the Rural Bank.
Advertising. Men of politica publicity.
Politicians allied with the current government Dilma.
PT leaders.
Total sum stolen?
Add yourself directly on the site of the prosecution.
Ask for complete charge of the Attorney General’s Office.

Click the link

http://noticias.pgr.mpf.gov.br/noticias/noticias-do-site/copy_of_pdfs/INQ%202245%20-%20denuncia%20mensalao.pdf/view

Começa maior julgamento de corrupção do Brasil

40 réus, 500 testemunhas, 50 mil páginas no processo.

Onze juízes, se não houver suspeição, do Supremo Tribunal Federal.

Ex-ministros do governo do presidente Lula.

Presidente que nomeou alguns dos juízes supremos.

Agentes do Banco Rural.

 Publicitários.

Políticos da base aliada do atual governo Dilma.

Dirigentes do PT.

Total da importância roubada?

Some você mesmo, direto no site do Ministério Público.

Peça completa da acusação da Procuradoria Geral da República.

Clique no linque acima.


Baixaria!

Tô cá no Mississipi, no meio dos negos que recebem Bolsa Family.

Pobres de marré.

Mas tão pobres e sem buraco na rua.

Com Wifi, banda larga, tudo free, na boa.

Por isso, amargando a volta pro meu Varonil País, acesso o Estadão:

 

Vai daí que tô aqui numa boa junto dos negos jalofo, tonga, edo ou andongo, sei lá, meu.

E num lugarejo pior do que Caetés, chamado Lula.

Ide ao google: lula, mississipi, usa.

E então, fato posto, os negos gargalham e me ensinam isso aqui, ó, mana:

E aí, meu?

Volto pra este imenso parque de diversão named BRAZIL?

Ou continuo ilegal por aqui mesmo?

Hein?????

Pras manas mensaleiras:

Fuck you!!!


Estou cá no Mississipi, USA, e para matar a saudade de Caetés, Brazil, invado um
canavial onde, no meio, descubro um alambique.

Sorvo uns baitas goles e ainda levo um galão no gibão de couro.

Me lembra, e chego a jurar que se trata da velha 51.

Pois chega a trote o resultado:

1 – Eu que bebo

e são os outros que soltam um terrorista condenado na Itália por crimes de sangue.

2 – Eu que bebo

e me vem o ex-Lula e me diz que, realmente, ao contrário do que havia lido na imprensa oficial, o

PALOCCI FOI DEMITIDO.

Uai.

 É o que dá beber.

Só falta me aparecer a polícia companheira e me expulsar daqui.

Mulher é que não me falta.

Por isso, vou dar no pé, rapidinho.

http://www1.folha.uol.com.br/poder/927312-lula-diz-que-palocci-foi-demitido-no-momento-http://www1.folha.uol.com.br/poder/927312-lula-diz-que-palocci-foi-demitido-no-momento-certo.shtmlcerto.shtml



 

A foto acima junta duas cobras e um pau.

Primeiro, a Ponte dos Remédios.

Por conta dos desvios do SUS.

Está no balança mas não cai.

Ponte JK. Bichada. Doente.

Vista da Residência da Presidência.

Alvorada Brasileira no Lago do Paranoá.

Acaba de ser invadida por uma pessoa cidadã.

 

 

Minha Brasília é tirana nos segredos.

Aqui, nunca se sabe ao certo do Nada.

A imprensa oficialmente só se homizia.

Neste caso mesmo  dessa  intrusa visita.

O elemento, em nota oficial da PF- GSI-EBC, seria:

33 anos, separado, mineiro, dono de Pajero.

Universitário.  Mora na Asa Norte.

Funcionário Público.

 

 

Enquanto isto, nós  jornalistas nos calamos nos perguntares:

1 – Poderia ser filho de alguma ex-autoridade?

2 – Poderia ter nome completo?

3 –  Poderia  o carro ter placa?

4 –  Poderia estar morto?

5 – Poderia ser você?

6 – Poderia ser eu?

 

Mais uma e a última sempre é a melhor:

 Poderia  ser algum  ex-morador bêbado?

 


 “Vale dizer que não há irregularidade quando páginas da internet divulgam – com propósito informativo e jornalístico – peças de propaganda eleitoral dos candidatos”.

 

Ministro Henrique Neves, do Tribunal Superior Eleitoral – TSE.

 

http://www.comunique-se.com.br/index.asp?p=Conteudo/NewsShow.asp&p2=idnot%3D57160%26Editoria%3D8%26Op2%3D1%26Op3%3D0%26pid%3D129356754244%26fnt%3Dfntnl

VOTOS NULOS

O STF, que não é o STJ, aceita a decisão do TSE e anula 1.799.762 votos dados pelos paraenses ao candidato da Base Aliada (PMDB,PT, PCs, etc), o ex e quase-quase futuro senador da República, Jader Barbalho.

Votaram nulo, certo?

Conversa Afiada:

http://conversafiada.zip.net/