março 2012



Atenção. Um dia depois deste post e  da má repercussão no Facebook, a tecnocracia reconhece:

Alertado por redes sociais, Banco Central vai incluir o nome de Cora Coralina em moeda comemorativa.

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-03-31/alertado-por-redes-sociais-bc-vai-incluir-nome-de-cora-coralina-em-moeda-comemorativa

CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL

Votos do Banco Central – Reunião de 29/03/2012

Voto: Lançamento de moeda comemorativa da cidade de Goiás

“O Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou o lançamento de moeda comemorativa em homenagem ao centro histórico da cidade de Goiás.

Pelo conjunto arquitetônico barroco, que se preservou sem alterações significativas desde o século XVIII, o centro histórico de Goiás foi declarado Patrimônio Mundial pela Unesco.

A moeda faz parte da série numismática Cidades, Patrimônio da Humanidade no Brasil, juntamente com as moedas já lançadas de Brasília e Ouro Preto.”

Agora vamos aos fatos.

Que bunito, né? Pois então olhe outra vez para a photo acima. O Mané aí está vendo o nome de Cora Coralina? Pois a poesia é dela, a Aninha da ponte da Lapa, a menina que se dizia feia.
Isto se chama ROUBO, ASSALTO, FURTO, 171.
Está lá, ó tecno-burocrata larápio.

Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais.  Minha Cidade. Edição número 14. Página 47:

“Eu sou estas casas

Encostadas

Cochichando umas com as outras.”

 

 

“Todas as vibrações

De minha sensibilidade de mulher.

Têm, aqui, suas raízes.”

“Eu vivo nas tuas igrejas

E sobrados

E telhados

E paredes.”

“Goiás, minha cidade …

Eu sou aquela amorosa

De tuas ruas estreitas.”

“Eu sou o caule

Dessas trepadeiras sem classe,

Nascidas na frincha das pedras.”

Abandonada …Cora, Coralina, mas não tem nada.

Nesta Semana Santa, os faracocos, meia noite de quinta, vão sair com as tochas acesas, à procura do artista burócra que não colocou o nome da Cora na moedinha numinsmática de cinco réis.

Quando encontrado, o artista co Banco Central vai ter que cunhar na moeda, o dedão em brasa do fogo, o nome profundo de

Cora Coralina…

“a mulher roceira.

– Enxerto da terra,

meio casmurra.

Trabalhadeira.

Madrugadeira.

Analfabeta.

De pé no chão.

Bem parideira.

Bem criadeira…”

https://www.facebook.com/eduardo.mamcasz

Anúncios

Shikata ga nai (japonês) = Das ist nichts zu machen (alemão) = 

Não vejo, não escuto e nem cheiro merda nenhuma (brasileiro).

É que na semana, na produtora de imagens onde obro, a colega Maria primeiro se desfaz dos CDS. Coloca-os na mesa comum dos mortais. Pego o de Edith Piaf. Depois, ela traz os livros, mudando que está para uma atitude, digamos, mais roqueira, junto com João,  José  e seus Chorumes.

Qual mendicante descido para a classe C, decido-me por  “Hiroshima”, de John Hersey, um dos maiores jornalistas culturais, mas bota factuais nisto, do século XX.

Assim  começa a perda de apetite para o caminhar dominical deste começo de outono na parte sul cá da Ilha da Fantasia, Brasília.

Hiroshima. Maior crime contra a Humanidade. O presidente dos Estados Unidos é fuzilado no Tribunal de Nuremberg? Necas… o piloto do Enola Gay é condenado àao mesmo fogo dos infernos? Nadica… Dormem soltos. Resultado: Vietnames, Iraques, Guantânamos e muito mais.

“No dia 6 de agosto de 1945m precisamente às oito e quinze da manhã, hora do Japão, quando a bomba atômica explode sobre Hiroshima…”, assim começa o livro de John Hersey, traduzido para o brasileiro. O calor de 6.000 graus centígrados derrete mais de cem mil pessoas e deixa outro tanto aleijadas, despeladas, cancerizadas.

E o pior. Na reconstrução, o Comando Militar Norte-Americano censura qualquer tipo de notícias, no Japão e, principalmente em terras ianques, para não manchar a imagem do Tio Sam Libertador do Mundo.

Mais pior ainda. O governo japonês do imperador colocado de quatro marginaliza os atingidos pela radiação nuclear que atestam a infelicidade de conturbarem os vivos, não-atingidos e abraçados ao inimigo.

– E eu com isto – ouço alguém na resposta ao meu caminhar dominical interrompido.

– Tudo e mais um pouco, pois leia com atenção o final da prosa de hoje:

Shikata ga nai, ou seja, fazer o que, não tem jeito, é isso aí, Das ist nichts zu machen, não tem nada a ser feito.  Esta é a estóica e oriental reação dos desmiolados pela bomba atômica jogada criminalmente pelos americanos em cima da cidade de Hiroshima, no final da Segunda Guerra Mundial.

Concluo, puto por ter perdido minha caminhada dominical:

– Mas não é esta a reação que eu vejo, todos os dias, ao meu lado, nos ditos bípedes eternamente de quatro? Nichevo, diz o russo. Não vejo, não ouço, não cheiro merda nenhuma.

Moral de Merda

No lugar da caminhada, neste domingo de manhã, pego um ônibus, cá na Asa Sul, direção ao Entorno, pós Satélite, com o livro “Hiroshima”, de Johan Hersey, no sovaco endireitado, e sigo o caminho inverso iniciado por Maria com o livro porrada na minha mente e no meu coração. Puxo a campainha e apeio numa estação do metrô, com quem volto.

Tomara que nesta hora o escrito esteja entrando na mente  de uma passageira pessoa. Que leva na cabeça, sem reagir, a cada dia, toda hora, uma porção de partícula atômica, sem nunca reagir, o mínimo que fora, eita Povinho, escuta, Zé Ninguém, ah, este novo livro eu libero domingo que vem, primeiro de abril, por isso adianto logo o papo amargo do Wilhelm Reich. Fala Guilherme:

“Vem comigo, Zé Ninguém.   Não fujas.  Não sou ditador,  embora, quisesse eu sê-lo, a tarefa teria sido fácil perante a tua mediocridade. Bom. Eu tenho as bombas atômicas, e uma só delas pode matar centenas de milhares de pessoas. Parece-me que ainda não entendeste bem, Zé Ninguém. Julgas que são os príncipes e generais que fabricam essas bombas? Não, são homens como tu que as constroem berrando “Viva!”, em vez de se recusarem a fazê-lo.

 Porra, meu, clique logo abaixo e leia o esporro completo, tá, Zé Ninguém!!!           

http://www.culturabrasil.org/zip/zeninguem.pdf


Photo by Tonicesa Badu

Domingo (ontem)

Caminhares quádruplos deste polaco bípede.
Inauguro o novo Parque da Asa Sul, cá na Ilha da Fantasia, na luta pelo IMC médio, ótimo não fora o cheiro de bosta do Centro de Tratamento da Caesb, confirmando a máxima do Cazuza:
– A burguesia f…ede!!!
Na saída, pego a 414/415 Sul, à procura de uma estimulante farmácia, pois hoje é domingo, quando se me depara uma quádrupla escolha, ó Céus, ó Vida:
1 – A farmácia em si, dita da Vida.
2 – À direita, Bolos da Vovó, ditos do Prazer.
3 – À esquerda, a lojinha dita de Serviços Póstumos.
Acelero o passo, fôlego ainda bom, o suor pressionado, para me quedar na quádrupla chance, aí já estou na verdade estirado mesmo:
4 – Tenda dos Milagres, toda quarta, das 18 às 19 horas.
Moral: Será que aguento bípede até lá?

Photo by Francisco Mendes 

Segunda-feira (hoje)


Jeito muito chato de começar a semana no local de trabalho.
– Gente, a Bia morreu!!!
Bia Reis, gente boa, produtora musical, longas conversas musicais, aquele jeito corporal esguio dela. Direto na mente. Enfim, já deve estar batendo papo com o João Lennon, noutro patamar, com o nosso Joaquim Jardim. Maior sucursal da Nacional FM lá no céu. Junto com a Heleninha, então. Maior programa.

https://mamcasz.wordpress.com/mortos/

 Homenagem da Rádio

http://www.radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-03-19/homenagens-para-apresentadora-e-produtora-musical-bia-reis


Script para o Dia Internacional da Mulher

8 de março de 2012  

Tec/ Vinheta Abertura – Trocando em Miúdo – Eduardo Mamcasz

 Loc/ Oito de março de 1857. Nova Iorque. Operárias entram em greve numa fábrica de tecidos.  

 Loc/ “Nós, mulheres unidas, exigimos: redução  imediata  de dezesseis para dez horas de trabalho  por dia.”

 Loc/ O governo chega. A polícia tranca a fábrica. Tasca fogo.  E queima, vivas, cento e vinte e nove mulheres resistentes.

Clique Abaixo e Ouça 

 http://snd.sc/wieMe3

Tec/ sobe/desce bg tambor africano.

 Loc/ Cento e dezoito anos depois da greve, a ONU decreta: Dia Oito de Março é o Dia Internacional da Mulher.

Tec/sobe/desce  bg coro africano.

 Loc/ E aqui, no nosso Brasil? 1932. A mulher brasileira, finalmente, consegue votar. Um ano depois,  na  Assembléia Nacional Constituinte, o povo elege duzentos e treze deputados … e apenas uma  mulher.

Loc/ Então,  um viva para a paulista Carlota de Queiroz.

Tec/ bg aplausos

Loc/ 1822. A regente interina, Maria Leopoldina, escreve ao imperador e exige:

Loc/  “Amado esposo, Pedro primeiro. Sejas homem: Independência ou Morte!”

Tec/ bg coro africano.

Loc/ Independência ainda distante de milhares de mulheres. Elas recebem menos do que os homens, no mesmo tipo de trabalho. E tem mais. A Organização Internacional do Trabalho informa:

Loc/ A mulher negra recebe vinte e cinco por cento menos do que a mulher branca, no mesmo tipo de trabalho.   Então,  neste Dia Internacional da Mulher, um viva para Anastácia, princesa africana, nascida num navio negreiro e futura escrava no Brasil.

Tec/Sobe/desce bg palmas.

Loc/ Um viva para Aqualtune, filha do rei do Congo, avó de zumbi dos Palmares, a comandante  de dez mil querreiros.

Tec/Sobe/desce bg palmas.

Loc/ Um viva para Francisca, minha rainha, líder da revolução dos negros muçulmanos, em Salvador da Bahia, em 1814.

Tec/Sobe/desce bg palmas.

Loc/  Falta muito para esta data  ser comemorado de verdade.

Loc/ Pesquisa do Instituto Patrícia Galvão confirma: metade da população brasileira conhece  uma mulher  que já foi … ou está sendo …  espancada pelo companheiro.

Tec/ Trecho do spot chega de calar diante da violência.

Um beijo em ti, Mulheraça!

Tu mostras os peitos

e alimentas a vida

na imensa fome

… de amor. 

* 

Dois beijos em ti, Mulheraça!

Tu suas as ancas,

colhes o feijão do dia,

e em casa és a chefe

… de família.

*

Três beijos em ti, Mulheraça!

Tu levas um murro

e devolves sussurro

no berço onde és pétala

… de flor.

*

Mulheraça!

Tu sustentas filho, marido, cachorro.

Mas Tu te lembras da  imagem

de mulher mais bonita

… do mundo?

Neste teu Dia internacional, Mulheraça,

Um beijo

Do tamanho de tua precisão.

*

( De Brasília, Eduardo Mamcasz,  Poeta Quase-Zen )

 


Começando pela influência do PEA feminino na composição do PIB. Traduzindo. PIB é a soma das riquezas, bens e serviços produzidos.

No Brasil, ano passado, isto saiu agora, pelo IBGE, oficialmente, o PIB é de quatro trilhões e pouco de reais. Pois preste atenção no cálculo do Cedaw, vou falar o nome em brasileiro. Comitê de Eliminação da Discriminação contra as Mulheres.

No Brasil, 40 por cento da População Econômica Ativa, PEA, feminina, são chefes de família. Ou seja, são responsáveis pelo crescimento do PIB. Que é a soma de todas as riquezas, e tal.

Clique e ouça

http://www.radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-03-07/mulher-que-trabalha-ganha-poder-de-decis%C3%A3o-e-passa-chefiar-40-por-cento-das-fam%C3%ADl


Semana da Mulher

Eduardo Mamcasz 

Título:

Continua grande a diferença salarial homem-mulher no Brasil

Chamada:

 Segundo o Fórum Econômico Mundial, entre 134 países divulgados, o Brasil ocupa a posição de número 114 entre os que apresentam as piores diferenças salariais entre homens e mulheres. Na média, passa dos 30 por cento.

Ouça:

http://www.radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-03-06/pesquisa-confirma-grande-diferen%C3%A7-salarial-homem-e-mulher

 

Script:

Tec/ Vinha Abertura Trocando em Miúdo

Tec/ BG Mulher Rendeira

Loc/ Ontem, a prosa nossa foi da renda da mulher. Hoje, a gente toca na diferença que existe entre ela e o homem. Muito boa para esta Semana Internacional da Mulher. Porque um dia é pouco, já falei. Primeira diferença. Fórum Econômico Mundial. Dos 134 países pesquisados, ocupa a posição de número 114 entre os que apresentam as piores diferenças de salários pagos para homens e para mulheres. Pior para elas, lógico, né?

 Tec/ BG mulher rendeira

Tem mais. Se a prosa ficar em cima do estudo publicado pela Confederação Internacional de Sindicatos, feito com 300 mil mulheres em 24 países, as mulheres trabalhadoras brasileiras apresentam as maiores diferenças de salário com relação aos homens, passando dos 34 por cento. Na Polônia, não chega a dois por cento

Esta diferença passa para 30 por cento se for pelo estudo feito pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento. Em 18 países da América Latina pesquisados, a média é de 17,2 por cento. Na Guatemala e Bolívia, homens e mulheres, em princípio, ganham igual.

Tec/ BG mulher rendeira

 Pesquisa do intersindical Dieese revela. Em São Paulo, a cidade mais rica da América Latina, o homem ganha 8 reais e 94 centavos por hora. A mulher, 6 reais e 72 centavo. Já em Salvador, na Bahia, a diferença diminui, mas o homem homem baiano ganha menos do que a mulher paulista. Seis reais e 50 centavos. A mulher baiana, 5 reais e 54 centavos por hora trabalhada fora de casa.

 Tec/ Bg mulher rendeira

 Loc/ A taxa de desemprego da mulheres, na média brasileira, é 62 por cento maior que a dos homens. 7,6 contra 4,7 por cento. No total dos desempregados, 57,6 por cento são mulheres. Mesmo que elas apresentem, em média, dois anos de estudo a mais do que os homens. Acontece que isto não tem adiantado. Quanto maior o nível escolar da mulher, maior a diferença salarial com o homem. Quanto os dois têm curso superior completo, o salário médio inicial do homem é de 3 mil 261 reais e 13 centavos. O da mulher, 1 mil 956 reais e 74 centavos, ou 40 por cento a menos.

Tec/ Bg mulher rendeira

Acontece que a mesma pesquisa do Caged, que é o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho e Emprego, a situação, no lugar de melhorar, tem piorado. No final do ano 2003, as mulheres recebiam, em média, 91,8 por cento do salário dos homens. No final do ano passado, caiu para 85,3 por cento, ou seja, aumentou a diferença.

 Tec/ Bg mulher rendeira

E só para fechar a prosa de hoje. A mulher é diferente do homem. Começa pelo salário. Mesmo assim, e esta fica para amanhã, ela tem uma participação muito importante na economia brasileira. E não falo só da mulher chefe de família, não. É mais do que isso.

Entáo, tá.

Inté e Axé


MULHER DE RENDA

Eduardo Mamcasz

Título:

Renda da mulher sobe50% a mais do que a do homem

Chamada:

Segundo pesquisa do IBGE, enquanto o rendimento médio doshomens, nos últimos dez anos, aumentou 43,1%, o das mulheres foi de 68,2%, oque significa a injeção de R$693,5 bilhões na economia brasileira.

Clique e Ouça

http://www.radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-03-05/em-dez-anos-renda-da-mulher-sobe-50-mais-do-que-do-homem

Script:

Tec/ Vinheta AberturaTrocando em Miúdo

Tec/ BG MulherRendeira – Cida Moreira

Loc/ Na voz de Cida Moreira, a gente começa a prosadesta Semana Internacional da Mulher falando de renda. Eu falei semana. Um diaé pouco. E começo falando de coisa boa. Pesquisa Nacional por Amostra deDomicílio. PNAD do IBGE. Desde o ano de 2002, o rendimento da mulher tem subidobem mais do que a renda do homem. 68,2 contra 43,1 por cento. Ou quase, quase50 por cento a mais.

Tec/ BG … tu me ensina a fazer renda ….

Loc/ Se a gente pegar, nos últimos dez anos, tudo oque as mulheres ganharam, pula dos 400 para os 693 bilhões de reais.   Então,veja bem, a economia brasileira na verdade está precisando cada vez mais doque? De mulher. Isto mesmo. Acertaste. E aqui começa o outro lado da prosa dehoje. Elas tiveram que sair de casa e ir à luta. Inclusive, estão estudandomais do que os homens.

Tec/ BG … olê, mulher rendeira …

Loc/ Pesquisa feita pelo Data Popular comprova queestá faltando é que a mulher da classe D, a pobre,  receba mais do que  940 reais por mês. Na parte de cima dapirâmide social, na classe A, a mais chique, a renda familiar da mulher pulapara 14 mil e 203 reais. No meio, na classe média, a chamada B, a renda é deseis mil e setenta reais. Em compensação, é a mulher da nova classe médiapobre, a C, quem fornece a maior parte da renda bilionária feminina. 47,1 porcento, com renda familiar média de 2 mil e 295 reais mensais.

Tec/ BG … mulher, mulher rendeira, mulher , mulherrendá …

Loc/  Resultadoprático desta prosa de hoje. As mulheres estão indo cada vez mais à luta naeconomia. Escuta esta. Síntese dos Indicadores Sociais, análise das condiçõesde vida da população brasileira. IBGE. Nos últimos dez anos, aumentou oito porcento o número de mulheres que estão deixando para engravidar, ter filhos, sódepois que se aprumar no estudo e arrumar um trabalho de verdade. Em estudos, amédia das mulheres é de dois anos a mais do que a dos homens.

Tec/ BG de passagem

Mais IBGE. Dos 62 milhões de arranjos familiares no Brasil,15,2 por cento são de casais sem filhos. Em Santa Catarina, pula para quase 20por cento. Tem até um nome para isso. Família DINC. Double income no kids. Semfilhos, renda em dobro. Entre os motivos, a prosa de hoje. A inserção da mulherno mercado de trabalho, na economia, na sociedade pós industrial e pós moderna.

Tec/ BG mulher rendeira…

Então, por hoje a gente fica na pesquisa apontando quea mulher, num ambiente de trabalho, ela traz mais produtividade no pedaço eaumenta o lucro da empresa, porque são melhores do que os homens em trabalhosde equipe.

Daí, para a prosa de amanhã, é um pulo só. BancoMundial. Se homens e mulheres tivessem oportunidades iguais no mercado detrabalho, a produtividade da economia, na América Latina, seria 16 por centomaior.

Então, tá.

Amanhã, a prosa é sobre a diferença que existe entrehomem e mulher.

Inté e Axé

Tec/ Vinheta de Encerramento

Próxima Página »