Brasília, calor da zorra, volto doidão da caminhada.

Dos 20 minutos em diante, é sempre assim, o grelo gralha na grelha.

Né que hoje a briga, outra vez, foi com uma fêmea deveras?

Ela anda, diz que avoa, a meio metro do chão, sem usar vassoura.

– Polaco. Meu macho só gosta de frutinhas adocicadas.

– O meu também, pensa ela que eu caio nessa, mesmo doidão. Pois a minha fêmea aposto que é que nem tu. Adora chupar um sangue.

– Uai, polaquito, como usted adivinhaste? Que gracioso!

– Sai prá lá, sua porra vagaba, vai chupar o cacete do demo.

– Polaquito, que te pasa, amorzito?

– Amorzito o caralho.

E saí correndo da fêmea.

Moral: tás rindo, né? Pois sabes o nome da fêmea? Aedes Egypti.

Anúncios