julho 2012



Agosto, mês do cachorro louco,

começa com o julgamento,

até que enfim!!!,

do Mensalão, no Supremo.

 São 38, só faltam dois para se juntar ao Santo Ali Babá.

Mas o que esses meninos aloprados fizeram?

Faz tanto tempo que muita gente nem se alembra mais, né, mané?.

Para começo de prosa, isto, segundo o The Economist:

     “The defendants face a range of charges including corruption, conspiracy, embezzlement, money-laundering and misusing public funds. Some admit they helped finance political parties off the books, which is illegal but common in Brazil. Others deny any role in the illicit payments.”

Pergunta-me a minha velha sogra, aqui ao lado:

– Oxe, menino, se fizeram tudo isto tão solto por que, hein?

Pois ide té lá.

Click.

http://www.economist.com/node/21559640


 Para melhorar a condição marginalizada do preto e do pardo,

que formam a raça negra,

não bastam apenas políticas públicas eficazes.

A recomendação é do Instituto Ethos.

É preciso colocar como meta permanente uma série de ações mais afirmativas.

Saiba quais são elas.

Ouça Eduardo Mamcasz nesta quinta e última parte da série

”Discriminação do negro no mercado de trabalho”.

Click abaixo

 http://radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-07-27/sociedade-n%C3%A3o-incentiva-participa%C3%A7%C3%A3o-do-negro

 

 

 

 


Por causa do  alto nível de analfabetismo, inclusive o funcional,

e baixo número de diplomas universitários, apesar das cotas, 

e diante das novas exigências do mercado de trabalho,

continua bastante limitado, segundo do Dieese,

o acesso do negro a empregos de qualidade e,

mais grave ainda,  a programas de qualificação profissional.

Ouça   a quarta parte da série

“A discriminação do negro no mercado de trabalho”.

Clique abaixo

http://radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-07-26/falta-de-acesso-%C3%A0-educa%C3%A7%C3%A3o-aumenta-discrimina%C3%A7%C3%A3o-do-negro-no-trabalho


  

Hoje, 25 de julho, é o dia da mulher afro,

duplamente discriminada no trabalho

A pior forma de discriminação no mercado de trabalho é sofrida pela negra.

Além de ser mulher, ela recebe, segundo o Dieese, até três vezes menos do que o homem não-negro.

Em seu dia, 25 de julho, a mulher afro-latino-americana e caribenha enfrenta dificuldade no acesso ao ensino.

Uma a cada quatro adolescentes negras não trabalha ou estuda,

de acordo com a OIT.

Ouça a terceira parte da série

“Discriminação do negro no mercado de trabalho”.

http://www.ebc.com.br/cidadania/galeria/audios/2012/07/mulher-negra-e-duplamente-discriminada-no-trabalho

 

 

The worst form of discrimination in the labor market is suffered by blacks.

In addition to being a woman, she receives, according to Dieese, up to three times less than the non-black man.

In his day, July 25, the woman african-Latin American and Caribbean faces difficulties in access to education.

One in four black teenagers not working or studying, according to the ILO.

Listen to the third part of the

“breakdown of the black labor market”.

 


Ethos   Institute, 

in recent ressearch made in ​​the 500 largest companies in Brazil,

shows that in total of 1.162  CEOs, only 62 are black men.

The number of women is 6, all brown, no one black.

Learn more now in the second part of the special series

“Discrimination in the black labor market“.

  

Pesquisa do Instituto Ethos,

feita nas 500 maiores empresas do Brasil,

mostra que dos 1.162 diretores-executivos, apenas 62 são negros.

O número de mulheres é 6, todas pardas, nenhuma preta.

Saiba mais, agora, na segunda parte da série especial

“Discriminação do negro no mercado de trabalho”.

Now, clique e listen me

http://www.ebc.com.br/cidadania/galeria/audios/2012/07/maioria-dos-brasileiros-ainda-sofre-discriminacao-no-trabalho


  Maioria dos brasileiros sofre discriminação no trabalho

O último Censo do IBGE (2010) aponta um fato 

que não acontece desde 1890,

dois anos depois da abolição dos escravos.

Cento e vinte e dois anos passados,

a população negra volta a ser maioria no Brasil.

Mas os sintomas continuam os mesmos.

Os brancos ganham duas vezes mais do que os negros,

que ocupam empregos menos qualificados,

por não terem acesso aos bens públicos,

principalmente à educação.

Acompanhe, a partir de hoje, a série especial

Discriminação do negro no mercado de trabalho”.

The last census of the IBGE points out a act that has not happened since 1890, two years after the abolition of slavery. One hundred and twenty-two years, the black population is again mostly in Brazil. But the symptoms remain the same. Whites earn two times more than blacks, which occupy less skilled jobs, not having access to public goods, especially education. Track, starting today, the special series 

“Discrimination in the black labor market“.

 Click abaixo

http://www.ebc.com.br/cidadania/galeria/audios/2012/07/maioria-dos-brasileiros-ainda-sofre-discriminacao-no-trabalho  


352 billion and 10 billion corresponding to the value of the U.S. dollar.

21.9 percent more than at the end of 2010.

These are our reserves in the last balance sheet,

released yesterday by the Central Bank of Brazil. 

Listen more

 

http://www.ebc.com.br/noticias/economia/galeria/audios/2012/07/brasil-tem-352-bilhoes-de-dolares-em-reservas

 

352 bilhões e 10 bilhões correspondentes ao valor do dólar norte-americano.

21,9 por cento a mais do que no final de 2010.

Estas são as nossas reservas, no último balanço,

divulgado ontem pelo Banco Central do Brasil,

correspondente ao último dia do ano passado, 2011.

 

Próxima Página »