Hoje, 25 de julho, é o dia da mulher afro,

duplamente discriminada no trabalho

A pior forma de discriminação no mercado de trabalho é sofrida pela negra.

Além de ser mulher, ela recebe, segundo o Dieese, até três vezes menos do que o homem não-negro.

Em seu dia, 25 de julho, a mulher afro-latino-americana e caribenha enfrenta dificuldade no acesso ao ensino.

Uma a cada quatro adolescentes negras não trabalha ou estuda,

de acordo com a OIT.

Ouça a terceira parte da série

“Discriminação do negro no mercado de trabalho”.

http://www.ebc.com.br/cidadania/galeria/audios/2012/07/mulher-negra-e-duplamente-discriminada-no-trabalho

 

 

The worst form of discrimination in the labor market is suffered by blacks.

In addition to being a woman, she receives, according to Dieese, up to three times less than the non-black man.

In his day, July 25, the woman african-Latin American and Caribbean faces difficulties in access to education.

One in four black teenagers not working or studying, according to the ILO.

Listen to the third part of the

“breakdown of the black labor market”.

 

Anúncios