Brazil has shitty GDP in 2012

             Brazil is expelled from the BRICs. Neither did with Paraguay in Mercosul. All because of our Pibinho of Shit this year 2012. Under one percent, or zero over some thing. No use plant more soybeans or send John Doe mingling consumption. GDP in the quarter of 0.6 makes everyone naked all nude: economists,  experts, financiers, banquists, analysts, and even ministers and last but not least, the King, I mean, the Queen of this Brazil varonil.

           Brasil é expulso do BRICs. Que nem fez com Paraguay no Mercosul.Tudo por conta do nosso Pibinho de Merda neste ano de 2012. Abaixo de um por cento, portanto, zero mais alguma coisinha. Não adianta plantar mais soja nem mandar o Zé Povinho se lambuzar no consumo. PIB de 0.6 no trimestre deixa todo mundo pelado, nuzão: economistas, economicistas, especialistas, financistas, banquistas, analistas, minisros e até o Rei, quer dizer, a Rainha.

        By the end of the year some part of this chess tupiniquim will fall. It is the law of the market. Only thing that remains steady is the “God of Heaven!” In the notes of our real, which are now worth less than the 2.12 dollar of the “decadent capitalist empire.” Okay, loser? Bomfíndi.

       Até o fim do exercício alguma peça desse xadrez tupiniquim vai cair. É da lei do mercado. Única coisa que continua firme é o “Deus do Céu!!!”nas notas de um real, que valem hoje 2,12 menos do que o dólar do “império capitalista decadente”. Certo, mané? Bomfíndi.

Coat of arms of Capitán Mauricio José Troche

Coat of arms of Capitán Mauricio José Troche (Photo credit: Wikipedia)

Anúncios

Quatro prosas miúdas, a partir de hoje,

de como o pobre gasta a renda que não tem.

Quando falo de pobre, não é o remediado, muito menos a nova classe média C.

É o lascado, entre a baixíssima e a pequeno-média renda.

Ah… ficam de fora, como acontece com toda estatística,

os localizados abaixo da linha da pobreza.

São os miseráveis.

Os que sobrevivem na miserabilidade.

( Foto tirada por mim no bairro classe A do Batel em Curitiba, Paraná, Brasil)

Primeira parte da pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Bancos – Febrabran – em cima de como o pobre gasta a pseudo renda nos chamados ciclos da vida – batizado, casamento e funeral.

A pesquisa  constata que  a população situada entre a baixíssima e a média renda, em casos de emergência, como doença grave na familia, procura mecanismos financeiros que vão do parente ao agiota. Só nisto, lá se vão 40% do quase tudo.

Então me ouça, pessoa.

http://soundcloud.com/mamcasz/ciclo-da-vida-01-pobre-gasta

Esta série específica  que repasso a partir de hoje eu acabo de aprender no curso intensivo Sistema Financeiro Nacional, que fiz na Confederação Nacional das Instituições Financeiras com a Federação Brasileira dos Bancos  (CNF-Febraban), com o professor Ricardo Escolá. Tem ainda, lógico, muito do MBA de Derivativos, na FIA, em bolsa de estudo para jornalistas de economia da BMF-Bovespa. Mais a vida…

Siga a série nos posts abaixo


O Relatório de Estabilidade Financeira, divulgado pelo Banco Central do Brasil, dá nota quase positiva para o desempenho da economia no primeiro semestre. Mas acende alguns sinais de alerta. Aumento da inadimplência é um deles. O outro, a preocupação com a crise financeira na Europa.

Os técnicos explicam que o relatório está de olho no risco sistêmico, especialmente à sua dinâmica recente e o grau de resiliência a eventuais choques na economia brasileira. Complicado, né? Nem tanto. Traduzindo para o português da esquina.

RESILIÊNCIA é a capacidade de superar obstáculos ou resistir a pressões adversas sem entrar em surto. Pensando na economia. Por exemplo. É o Brasil continuar calmo diante da crise financeira na Europa. Tanto que o relatório do Banco Central, na página 15, lembra o seguinte, do jeito como está escrito:

“Faz-se oportuno ressaltar que o cenário externo continua sendo acompanhado, a fim de evitar que eventual deterioração da crise internacional afete negativamente a economia doméstica.”

 

Direto para o relatório. A inadimplência aumentou, sim senhor, por causa, principalmente, dos financiamentos para compra de carro.Com isso, houve maiores despesas de provisão e redução do lucro líquido. Traduzindo. Os bancos aumentaram a reserva contra calote e com isso diminuiram os lucros. Que mais? Houve elevação de 1,2 pontos percentuais no endividamento das famílias, alcançando 43,4% da renda disponível. Precisa traduzir isto? 43,4 por cento da renda das famílias já estão comprometidas com endividamentos feitos e com dificuldade de serem pagos. Ou seja. Maior estrésse.

Agora me ouça, pessoa:

http://soundcloud.com/mamcasz/economia-quase-passa-no-teste

Link para o relatório completo do BC:

http://www.bcb.gov.br/htms/estabilidade/2012_09/refP.pdf


Survey of the world’s wealth (GDP) reveals that the average growth of almost 80% led to the extermination of 104 million jobs between 1980 and 2000. North America continues with 32.8% of global GDP

Click

http://snd.sc/LhBTaZ

Levantamento feito da produção mundial de riquezas (PIB) revela que o crescimento médio de quase 80 %  provocou o extermínio de   104 milhões de empregos entre os anos de 1980 e 2000. A América do Norte continua com 32,8% do PIB mundial.