O Relatório de Estabilidade Financeira, divulgado pelo Banco Central do Brasil, dá nota quase positiva para o desempenho da economia no primeiro semestre. Mas acende alguns sinais de alerta. Aumento da inadimplência é um deles. O outro, a preocupação com a crise financeira na Europa.

Os técnicos explicam que o relatório está de olho no risco sistêmico, especialmente à sua dinâmica recente e o grau de resiliência a eventuais choques na economia brasileira. Complicado, né? Nem tanto. Traduzindo para o português da esquina.

RESILIÊNCIA é a capacidade de superar obstáculos ou resistir a pressões adversas sem entrar em surto. Pensando na economia. Por exemplo. É o Brasil continuar calmo diante da crise financeira na Europa. Tanto que o relatório do Banco Central, na página 15, lembra o seguinte, do jeito como está escrito:

“Faz-se oportuno ressaltar que o cenário externo continua sendo acompanhado, a fim de evitar que eventual deterioração da crise internacional afete negativamente a economia doméstica.”

 

Direto para o relatório. A inadimplência aumentou, sim senhor, por causa, principalmente, dos financiamentos para compra de carro.Com isso, houve maiores despesas de provisão e redução do lucro líquido. Traduzindo. Os bancos aumentaram a reserva contra calote e com isso diminuiram os lucros. Que mais? Houve elevação de 1,2 pontos percentuais no endividamento das famílias, alcançando 43,4% da renda disponível. Precisa traduzir isto? 43,4 por cento da renda das famílias já estão comprometidas com endividamentos feitos e com dificuldade de serem pagos. Ou seja. Maior estrésse.

Agora me ouça, pessoa:

http://soundcloud.com/mamcasz/economia-quase-passa-no-teste

Link para o relatório completo do BC:

http://www.bcb.gov.br/htms/estabilidade/2012_09/refP.pdf

Anúncios