Banco Central está de olho nos pequenos

Os testes feitos pelo Banco Central, no primeiro semestre, também indicam, no Relatório de Estabilidade Financeiro, a continuidade na liquidez de crédito, até dezembro. Mas alertam que os pequenos bancos continuam a ser olhados de perto, principalmente na questão do capital próprio abaixo dos 11% exigidos. E o teste de estresse comprovou que, caso aconteça algum tipo de problema maior, muitos dos bancos pequenos não se aguentam em pé. Na verdade, 17 deles.

 

(Trabalho em cima da foto oficial do prédio do Banco Central em Brasília)

In addition to growth, the tests conducted by the Central Bank in the first half, also indicate, Financial Stability Report, the continued liquidity of credit until December. But it warned that smaller banks continue to be looked at closely, especially the issue of equity below the 11% required. And the stress test proved that if some problem happens more, many small not withstand standing.

Então me ouça,pessoa.

Clique.

http://soundcloud.com/mamcasz/bc-est-de-olho-nos-pequenos 


O Relatório de Estabilidade Financeira, divulgado pelo Banco Central do Brasil, dá nota quase positiva para o desempenho da economia no primeiro semestre. Mas acende alguns sinais de alerta. Aumento da inadimplência é um deles. O outro, a preocupação com a crise financeira na Europa.

Os técnicos explicam que o relatório está de olho no risco sistêmico, especialmente à sua dinâmica recente e o grau de resiliência a eventuais choques na economia brasileira. Complicado, né? Nem tanto. Traduzindo para o português da esquina.

RESILIÊNCIA é a capacidade de superar obstáculos ou resistir a pressões adversas sem entrar em surto. Pensando na economia. Por exemplo. É o Brasil continuar calmo diante da crise financeira na Europa. Tanto que o relatório do Banco Central, na página 15, lembra o seguinte, do jeito como está escrito:

“Faz-se oportuno ressaltar que o cenário externo continua sendo acompanhado, a fim de evitar que eventual deterioração da crise internacional afete negativamente a economia doméstica.”

 

Direto para o relatório. A inadimplência aumentou, sim senhor, por causa, principalmente, dos financiamentos para compra de carro.Com isso, houve maiores despesas de provisão e redução do lucro líquido. Traduzindo. Os bancos aumentaram a reserva contra calote e com isso diminuiram os lucros. Que mais? Houve elevação de 1,2 pontos percentuais no endividamento das famílias, alcançando 43,4% da renda disponível. Precisa traduzir isto? 43,4 por cento da renda das famílias já estão comprometidas com endividamentos feitos e com dificuldade de serem pagos. Ou seja. Maior estrésse.

Agora me ouça, pessoa:

http://soundcloud.com/mamcasz/economia-quase-passa-no-teste

Link para o relatório completo do BC:

http://www.bcb.gov.br/htms/estabilidade/2012_09/refP.pdf