With growth of 0.4% percent of the Brazilian´s economy

in the months of April, May and June,

announced just now,

the market can already visualizethe behavior 

of GDP by the end of the year,

although the forecast of 4.5 %,

of the beginning of the year, is no longer achieved.

Listen me (in brazilian language, sorry)

http://radioagencianacional.ebc.com.br/materia/2012-08-31/pib-do-segundo-trimestre-cresce-04 

Economia do Brazil cresce 0,4% no segundo trimestre

Com o crescimento de 0,4% por cento da economia brasileira nos meses de abril, maio e junho, anunciado agora há pouco, o mercado já pode visualizar o comportamento do PIB até o final do ano, ainda que a previsão de 4,5%, do começo do ano, não seja mais alcançada.

PIB. Produto Interno Bruto. Soma das riquezas, ou seja, bens e serviços, produzidos. Vale do pãozinho ao apartamento de luxo. E agora mesmo saiu o crescimento da nossa economia no segundo trimestre, veja bem, abril, maio e junho. O PIB do Brasil cresceu 0,4%. E eu com isso? Vamos nessa!

O PIB só leva em conta o produto final, explicando rapidinho, no caso do pãozinho não entra a farinha de trigo e no apartamento de luxo uma porção de coisas. É para não contar a mesma coisa duas vezes. Se eu calcular, por exemplo, o número de pneus produzidos, eu não poderia colocar o número de carros, sem tirar as rodas. Então, fico com o produto final que é o carro com IPI reduzido por mais dois meses.

De qualquer forma, o PIB do Brasil hoje é de 2 trilhões 492 bilhões e 908 milhões de dólares. O maior PIB do mundo, hoje, continua sendo o dos Estados Unidos. Mais de 15 trilhões. Em segundo, a China, com quase sete trilhões e meio. Mas no nosso caso, no primeiro trimestre do ano, ou seja, janeiro, fevereiro e março, cresce apenas 0,2 por cento. O trimestre seguinte, anunciado agora há pouco, pelo IBGE, cresceu um pouco mais . 0,4%. Este crescimento já havia sido informado no último IBC-BR. Indice de Atividade Econômica, Banco Central do Brasil. Ele antecipa o resultado do PIB, este por conta do IBGE, outro órgão do mesmo governo. Acontece que, por isso mesmo, ninguém se entende mesmo é de quanto vai ser o PIB do Brasil no final deste ano de 2012. Por exemplo.

Ministério da Fazenda. Três por cento. A partir de hoje, diz que é mais. Banco Central. Dois por cento. Analistas do mercado financeiro. 1, 8 por cento. Standard and Poors, a empresa internacional que dá notas de risco para um país, no caso o nosso Brasil. Dois por cento. E só para aumentar a confusão. No começo do ano, todo mundo jurava, inclusive o governo, que o PIB deste ano ia ser de 4,5 por cento. E por que caiu? Simples. A economia brasileira não está crescendo neste ano do jeito que todo mundo esperava. Principalmente a indústria, que está abaixo de zero.

E só para ir fechado a prosa de hoje. No lugar do PIB, Produto Interno Bruto, aliás, a riqueza do Brasil poderia ser olhada pelo lado do IDH, Índice de Desenvolvimento Humano, que é a diferença da renda entre ricos e pobres num mesmo país. Aí, o nosso Brasil continua feio. Ocupamos a posição de número 84 entre 187 países. Se ficar só no PIB, tudo bem, pulamos para a sexta maior economia do mundo.

E só para fechar.

É melhor PIBINHO de  quase meio por cento acima do que qualquer coisa abaixo de zero.

Certo?

Então, tá

Inté e Axé.

http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=2205&id_pagina=1&titulo=PIB-varia-0,4%-em-relacao-ao-1º-trimestre-e-chega-a-R$-1,10-trilhao

Anúncios