Mas ganham menos do que os homens.

Os números divulgados pelo Caged-Rais,

do Ministério do Trabalho,

confirmam os do IBGE.

As mulheres, apesar do avanço no mercado de trabalho,

continuam ganhando menos,

no mesmo tipo de trabalho.

Mas a diferença vem diminuindo a cada ano.

Será?

No Brasil, as mulheres são mais da metade da população, estudam mais que os homens,  têm menos chances de emprego e ganham menos  trabalhando nas mesmas funções. Isto de acordo com o IBGE. Agora,  foi divulgado o número de vagas de trabalho criadas no ano passado. Mas a prosa de hoje de mulher.   E comemorar por que? Por causa dos números do Caged e Ráis. Vamos nessa

* * * * *

Ah… Caged é o Cadastro Geral dos Empregados e Desempregados. Ráis é a Relação Anual de Informações Sociais. Tudo muito bem detalhado. Informa, por exemplo, que o mercado hoje no Brasil é ocupado 58 por cento pelos homens e 42 por centos pelas mulheres que, aos poucos, ganham terreno. Palavra do diretor de emprego do Ministério do Trabalho, Rodolfo Torélli.

Então me ouça, pessoa

 http://soundcloud.com/mamcasz/mulher-mais-instru-da-mas


Ótima notícia, não é não?  NÃO!!! A  proporção continua maior para o lado masculino de inserção no trabalho, ou melhor, na População Economicamente Atica (PEA). E no salário, ganho, chefia.

Os 144% de aumento de mulheres no trabalho, ou 9%  de crescimento na proporcionalidade, são apenas da América Latina e Caribe, que perderam apenas para a África do Norte e Oriente Médio.

Agora, presta muita, mas muita atenção, nas CAUSAS que levaram a este crescimento no número de mulheres no PEA. Leia duas ou mais vezes e depois escute o áudio no link abaixo.

 “ Os motivos pelos quais as mulheres em geral, e sobretudo as casadas, mergulharam no trabalho pago não tem relação necessária com sua visão social e dos direitos das mulheres. Talvez se deva à pobreza, à preferência dos patrões por elas serem mais baratas e mais dóceis, ou simplesmente ao crescente número – sobretudo no mundo dependente – de famílias chefiadas por mulheres.”

Página 25 do livro Mundo em Crise- a libertação e o abandono de uma sociedade, ao citar  Hobsbawn, 2006, p. 305-307.

Pois agora meu ouça. Clique abaixo.

http://snd.sc/NwzOqh