This  sunday, here in Brazil, we have the elections called so democracy.
22,555 candidates compete for the votes of 153 million voters.
But,  because of the democratic principle, by an inmate, in fact, could vote, and can either say, or even be voted on.
It is the supreme law of the people, for the people and back to the people, don’it?
All law emanates from the people ….
But what happens in fact, we have, here in Brazil, 1,248 candidates  prohibited by the Supreme Electoral Tribunal to be candidates.
But  they still …
They will are, perhaps, 15 governors, 29 senators, 336 congressmen, 769 state representatives and 28 district representatives (only in the island country’s capital).
Their votes are counted but not accepted as the eleventh chief judge is not appointed by the Chief of the Armed Forces General Staff of Brazil,  or,  the president who is leaving the popular power.
So?
Where is the sovereign  of the people? 

Translate and listen above, ou abaixo, sei lá gringo: 

 

Neste domingo, aqui no Brasil, tem eleições da dita democracia. 

22.555 candidatos disputam os votos de 153 milhões de votantes. 

Só tem uns adendos nada democráticos. 

Digo isso porque, pelo princípio democrático, até um preso, de fato, poderia votar, e pode, quer dizer, ou mesmo ser votado. 

É a lei suprema do povo, para o povo e volta pro povo, né Mané? 

Toda lei emana do povo…. 

Mas acontece que, acima do povo, tem 1.248 candidatos que estão proibidos pelo Tribunal Superior Eleitoral de serem candidatos. 

Mas continuam… 

São 15 talvez governadores, 29 senadores, 336 deputados federais, 769 deputados estaduais e 28 deputados distritais (só na ilha, capital do país). 

Os votos deles serão contados mas não aceitos enquanto o décimo-primeiro juiz supremo não for nomeado pelo chefe-maior das Forças Armadas, ou seja, o presidente que está de saída. 

E aí? 

Cadê a vontade soberana do povo? 

*       

Zé Ramalho says:       

Esta é uma canção do povo marcado, do povo feliz.       

Admirável  gado-povo          

É o nosso Brasil!!!       

*       

        

Vocês que fazem parte dessa massa
Que passa nos projetos do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais do que receber…
       

E ter que demonstrar sua coragem
À margem do que possa parecer
E ver que toda essa engrenagem
Já sente a ferrugem lhe comer…
       

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado
Êh!
Povo feliz!…
       

Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal…
       

E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou…
       

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado
Êh!
Povo feliz!…
       


O povo foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores tempos idos
Contemplam essa vida numa cela…
       

Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo se acabar
A Arca de Noé, o dirigível
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar
Não voam nem se pode flutuar…
       

Êeeeeh! Oh! Oh!
Vida de gado
Povo marcado
Êh!
Povo feliz!…
       

Ooooooooooooooooh! ”       

Para ver-ouvir-sentir-pensar-colar,  clique abaixo:       

http://letras.terra.com.br/ze-ramalho/49361/

Anúncios