Os Cosmopolitas



Hoje, 17 de julho, é o Dia do Homem, no Brasil.

É uma data criada em defesa da preservação do gênero.

No caso, o masculino, que a olho nu perde terreno.

Ainda bem que em Brasília já somos minoria.

Portanto, com muito mais direito.

Bem feito para as filhas da luta.

E o macho vai às compras .

Mistérios do consumo masculino no Brasil.

Pesquisa da Shoper Experience.

Começando pelo homem de vinte anos de idade.

É onde mais se apresenta o sentimento do prazer.

De comprar para si ou para presentear.

Ou ter seu principal objeto de desejo.

Geralmente é um carro,um computador, um celular último tipo….

Ou seja. Beleza, bom gosto e bem estar.

  E como se comporta, na economia, o homem acima dos sessenta anos?

Bom … só compra o necessário.

Sobra para a mulher, seja neta, bisneta ou amante.

Todas filhas da outra.

Então, bom dia do Homem.

Seja eu um garotão, tiozão, madurão ou mesmo avozão.

Um beijo (???)

Pare. Olhe. ESCUTE. Passe.

Clique:

http://snd.sc/nkdLpU

Ou:

http://www.podcast1.com.br/ePlayer.php?arquivo=http://www.podcast1.com.br/canais/canal1618/MIUDO_MAMCASZ_DIA_DO_HOMEM.mp3” frameborder=”0″ width=”450px” height=”60px” scrolling=”no”>

 

Anúncios

Baixaria!

Tô cá no Mississipi, no meio dos negos que recebem Bolsa Family.

Pobres de marré.

Mas tão pobres e sem buraco na rua.

Com Wifi, banda larga, tudo free, na boa.

Por isso, amargando a volta pro meu Varonil País, acesso o Estadão:

 

Vai daí que tô aqui numa boa junto dos negos jalofo, tonga, edo ou andongo, sei lá, meu.

E num lugarejo pior do que Caetés, chamado Lula.

Ide ao google: lula, mississipi, usa.

E então, fato posto, os negos gargalham e me ensinam isso aqui, ó, mana:

E aí, meu?

Volto pra este imenso parque de diversão named BRAZIL?

Ou continuo ilegal por aqui mesmo?

Hein?????

Pras manas mensaleiras:

Fuck you!!!


I`m Brazilian, mana!

Me too.

I’m American, carinha!

Me too.

 

Estamos, de verdade, numa cidadezinha no interior do Estado de  Indiana,
nos Estados Unidos.

CHAMADA BRAZIL.

Isto mesmo.

 Fundada e nominada em 1866,   nos tempos do nosso Dom Pedro II.

Ele era nosso imperador bom, mais viajado do que o Lula.

Eis a prova.

Logo abaixo, a gringa que tirou a minha foto e  eu a roupa dela.

Consegui no velho  papo estilo polaco carioca

  I`m brazilian, me too, papo vai, papo vem,  a gente acabou no motel.

 Of course,mostrei a diferenca do Brazil com Z do Brasil com S.

S de sai de baixo mina vem pra cima.

Mas voltando ao Brazil, com Z, do imperador Dom Pedro II.

Matou o papo do Lula 51 de que, com ele, o Brasil, com S,

 ia ser conhecido no mundo.

Desde 1863 que ele, o Brazil, tem sido.

Pelo menos aqui.

BRAZIL, INDIANA, USA.

Tem prefeitura, carro de policia, igreja, biblioteca,
jornal Brazil Times, correios, o escambau.

Inclusive, my brother do PT,  uma big Tavern para o
ex-presidente do povao passar seus ultimos anos de exilio,

tao logo a classe ascendente fique orfao de vez.

Vamos as fotos que to saindo pruns embalos saturday night

com a minha gringa.

Ela grudou ne mim e diz que vai conhecer a Bahia.

Vamu nessa, neguinha.

What, little mam, are you crazy?


http://my.barackobama.com/Immigration-Reform


Estou cá num dos empregos.

Por ser jornalista, sou que nem médico e advogado.

Que nem prostituta.

A brincadeira é sobre quem a gente devia mandar,

para ficar de plantão,

na porta da usina nuclear do Japão, e coisa tal.

Tipo uma das chefias…

Daí, uma colega verde diz:

– Nossa, e se essa nuvem atômica japonesa chegar até aqui em cima da gente.

Um colega, marrom, na hora responde,  tipo falso carola: 

– Vai ser castigo mais do que merecido.

Quem mandou a gente jogar duas bombas atômicas em cima deles.

Agora, eles estão se vingando do mundo.

 Bem feito.

Moral:

Risos amarelos enchem o recinto insalubre.


 A  lembrança mais antiga que eu tenho do Japão,  fora a da infância, no Paraná,  é esta:

Em 1900 e tanto, estive lá, quando o Heroito, imperador, morreu.

 O ex-Deus,  que levou duas bombas atômicas na cara, jogadas pelos gringos, em Hiroshima e Nagasaki.

Foi  crime de guerra  pior que o do tio Adolfo ou do primo Bin Laden.

E ficou tudo por isso mesmo, ou seja, nada.

Ao meio-dia, daquele dia,um minuto de silêncio pelo Hiroito.

Prefiro, mesmo jornalista, passar o momento no metrô da cidade mais populosa do mundo.

Silêncio. Vazio. Sepucral. Um minuto de silêncio total. Parada mesmo.

E olha que eu estava com a credencial para estar lá dentro do palácio das ninjas.

Este post eu dedico pro Edson,  meu amigo ninsei, que mora no Japão.

 Eu o  conheci no Cambojda, ele a caminho do Vietnã, e eu, continuando para a Birmânia.

 Sorry, nova classe média tupiniqueira. É coisa profunda, do Kmer Vermelho.

Torço que esteja tudo bem com ele.

Moral.

O mesmo para  os ninseis, sinseis, dodescadein, sei lá o quem.

Para quem passou por Hiroshima e Nagasaki, não vai ser uma marola dessas que vai derrubar.

Abraços.

 


De volta ao lar, amigos.

Olho vivo, a partir da fama.

Em homenagem a vocês, estou  num arroz carreteiro.

Caipirinha. Farofa. Salada de tomate. Dedo de moça.

Estamos servidos?

Ao meu lado, o novo representante dos funcionários da BBC.

Eu disse dos “funcionários”.

Carlo Barcelo, do Contestado.

Belo sorriso, manus:

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/02/tivemos-medo-de-morrer-dizem-jornalistas-detidos-no-egito.html

Próxima Página »