O melhor, numas férias, é mesmo o não fazer nada.

Por exemplo.

Chaussierstrasse, em frente à estação do metrô U 3 – Oranienburgtor. Ou Tram M1.

Uma mesinha do Café Balzac. Que nem Paris. Mas não é. Logo depois da visita à atual casa do Brecht, no 125.

Daí, no dolce far niente, coloco a máquina em cima da mesa, e a cada saída do metrô, clico.

Dá nisso.

Fazer nada é para quem pode.

Um beijo nas minhas amizades baianas.

Anúncios