Eu, galã, ofereço meus préstimos neste Dia dos Pais.

Sou carinhoso com a mãe e com a criança.

Em especial neste festivo domingo.

Preparo o lanche da filha.

A sobremesa da tia.

A janta da patroa.

Cobro pouco.

Pelo muito.

Use-me.


   

Tá rindo, é, moleca necessitada e carente de um afago paterno?

 Mas o lero de hoje se deve a um fato deveras ocorrido.

 Colega aqui no trabalho da tarde na produtora.

 Tem filho num colégio de freiras marocas.

 Ela acabara de ouvir o seguinte:

 “ Domingo é o Dia dos Pais e tem festa na escola.

 Notamos que o teu filho não teu pai, onde anda?

 Mas o filho tem pai, onde está ele, com a outra.

 E você deixou ele escapar, agora arranje um e já.”

 Moral da prosa rasa:

 Por duas horas, no domingo, estou Pai de Aluguel.

 Aproveito para mandar a Noiva de Gesus à merda.

Anúncios