The piss and blood from the beggar in Brasilia, Brazil

O mijo e o sangue do mendigo de Brasília

Olha que obra mais linda, que cheia de arte.

Passo por ela, por cima; recrio-a por baixo.

Tudo ao meu alcance,   aqui no trabalho.

De volta à Pátria Amada e Idolatrada.

Capital do Império Latrino.

Brasília City. 

Capital: Brazil !!!

As fotos de hoje fazem parte do que restou, nesta madrugada, do mendigo sem eira nem beira.

Ele   sempre dormia sob a  marquize ao lado de onde trabalho.

Durante o dia, ele enchia o nosso saco, no fumódromo em frente ao prédio.

A gente se livrava do pedido dele – me dá um cigarro aí –  com um rapidissimo chega para lá.

Até porque ele sempre fedia pra burro, coitado, lavar as coisas adonde?

 Mijar?

 

 No chão, jaz o mijo misturado ao sangue do mendigo.

O pior é que não ganhou uma nota na imprensa.

A perita polícia do sequestro de ontem, onde?

Junto com a imprensa nos gabinetes de Brasília.

Poliça: vamos ter mais quatro mil meganhas.

Imprensa: poliça diz que vamos ter mais.

E o mendigo que apanhou a noite toda?

Alguém pelo menos sabe o nome dele?

Moral do lero.

Estou cá a ouvir a seguinte frase no meu penico:

– Hum! mas que cheiro bom de bife acebolado.

Vem do lado oposto, da birosca da grelhada.

O cheiro, não do sangue do mendigo; do bife.

– Descanse em Paz!

  Amém!

Agora me dá licença que vou vomitar no saco.

Está na entrada da produtora onde trabalho:

2 – Este post saiu no jornal de Portugal. Blogs do Sapo.

Se puder não volte

http://noticias.sapo.pt/local/mafra/

Aproveite, veja e oiça também

Setenta por cento dos mendigos são negros

http://podcast1.com.br/programas.phpcodigo_canal=1618&numero_programa=49

BRASÍLIA, CAPITAL DA ESPERANÇA.

Anúncios