Ahoy cambada de burocrata comunista de merda!!!

                    Sabe aquela burocracia que a gente herdou do portugal invasor da intimidade das nossas índias e negras? Pois mal. A dos comunistas do leste europeu, e digo aqui de Praga, República Tcheca, é pior ainda. Não a toa que pesquisa aponta a maior encheção de saco tcheco. É a corrupção. Ô raça.

Melhor ainda depois de ter lido O Processo, do Kafka. Pior e sentir na pele. Hoje, fui comprar o passe mensal para usar todos os transportes – bonde, metrô, ônibus, van e até um ferrizinho. Apenas 67 reais. Mas podia ter sido menos – 54 reais ou 540 coroas. Vamos à cruz credo burocratas asnos.
Vim com duas fotos tamanho e mais o passaporte, 540 coroas trocadas, o nome do passe escrito na cueca, apontei no primeiro guichê no metrô Andel, tudo de acordo com o que está no site do Dpp, o Departamento Burocrático de Transportes. Ah. Esperei dar 13 horas porque de 12h15m às 13 e depois, das 17h30m às 18h, os caras fecham para, sei lá, mijar, fazer um lance, rir da cara dos contribuintes.

Daí, o véio comuna abriu a janelinha, mostrei o papel, ele botou os óculos, puxou a sobrancelha para cima, leu pausadamente e … foi falar com o chefe imediato. Mostrou a porta ao lado. Abri. Entrei. O chefete falou que era para ir na sala mais ao lado, de Informações. Vamu lá, seu Kafka.
Abro a porta, sala apertada, duas filas, dois guichês, escolho uma, chego e … e na outra. Entro na fila, espero, ando, mostra o papel. Você tem o sei lá o que, é o cartão que a gente tem que tirar, leva três dias, provar que mora na Praga, paga 140 cororas para … comprar o passe mensal, quadrimensal ou anual. Se for véio, tem desconto. Não tenho.

Sou polaco, quer dizer, baiano, porra, brasileiro, começo a me lembrar da Metamoforse, de Kafka, tentando acertar o emprego, mas precisava conhecer alguém para levar o recado até o Castelo. Comeu umas quatro garçonetes do bar sujo e …. nada. Que nem eu. Pior. Não comi nada, nem bebi uma pivo, enquanto isso. Que mais? Vamu lá, seu Kafka.
A véia comuna burocrata do guichê de Informações da DPP checa me diz, num inglês parco e porco, que para tirar o passe 30 dias, que é diferente do mensal, inclusive no preço, não precisa de foto, é transferível, ou seja, se for roubado pelo trombadinha, fica com ele e … tudo bem. Tudo mal para mim. E onde tiro esta porra, me desculpem meninas abelhudas que me acompanham aqui no Face.

Faz o seguinte, polaco. Saia para a rua, vá para a outra entrada do metrô, pela calçada, cuidado com alguns ladrõezinhos, coisa de nada perto dos do Rio, tá? E daí, véia? Daí que você entra lá no metrô, desce a escada, rolante se estiver funcionando, e procura um guichê de informações de lá. Tá. Vamu lá, Kafka.
Vou pela calçada, começa a chover, passo por uns doidos e outros bêbados, ando duas quadras, desço a escada – a pé porque a rolante não rolava porra nenhuma – vou até a sala de informacões oficiais do comitê oficial de transportes e … é noutro guichê, lá na frente, o amarelo, vai lá, mané. Vou, né.

Duas filas -juro! – entro numa – adivinhe só. Acertou! – Não é essa. É esta aqui exatamente no guichê ao lado, tem que se abaixar para falar pelo buraquinho, me diz a um pouquinho menos velha comunista tcheca do que a seguinte.
– Minha tia, sou do Brasil, pareço polaco, mas sou baiano, daqui não saio sem esta porra do passe de 30 dias. Mensal, nem pensar.
– Que nervoso é esse meu rei? Guenta aí.
Guentei já com as ventas espumando. Ela primeiro pegou a nota de 2 mil coroas. Deu o troco. Ah… dois passes, tá? Prá quem? Não é da sua conta. Já sei. É para a Madame que está espumando aí do seu lado, é? Ela está doente? Espumando pelas ventas. É falta de atenção da sua parte, é, polaco? Cansado ou é a idade mesmo?
– Cadê o passe, véia?
Primeiro, ela tirou um papel, botou na máquina, saiu, pegou outro, colocou por entre as pernas, ih…., saiu do outro lado já … plastificado.
Ufa. Meninas, me perdoem o final:
– Puta que pariu, hein seu Kafka comunista de merda!

Mas o que importa é que com este passe de 67 reais eu posso usar, nos próximos 39 dias, quanto quiser, tudo que é metro (3), bonde (uns 200 e tanto), mais ônibus e até lotação. Já inaugurei a linha 22, 58 minutos, de um lado pobre, no sul, até o lado rico, acima do castelo de Praga, na Bili Hora. E vem mais por aí.

Kafka Verwandlung

Kafka Verwandlung (Photo credit: Wikipedia)

Quer saber mais? Vá no site:

http://www.dpp.cz

Anúncios