Semana que vem, depois que eu voltar de uma nova ida, vou  mudar o nome deste blog, que neste dia 23 de agosto completa um ano de vida,   para:

OS FANTASMAS DA RÁDIO HAITI.

                    Mas daí vão me dizer que  o HAITI É AQUI.

                   Então, pelo jeito, vai ser mesmo:

OS FANTASMAS DA RÁDIO AFEGANISTÃO.

                 Só assim vão parar de me acusar de estar ofendendo a honra de algum coleg@, em sentido pessoal,  até porque  isto nunca antes  foi de fato minha intenção e nem disso houve expressão.

               Tanto que eu nunca citei o nome de qualquer colega, aqui na Rádio Afeganistão.

              A não ser os já falecidos mas, aí, eles foram sempre homenageados por mim, mesmo que depois da morte.

             Sempre tomei cuidado em não particularizar um fato e muito menos o espaço dos vivos da Rádio Brazil ( fica onde mesmo esta estação? )

            Ou seja, se por acaso pareceu implícito, alguma hora, dependendo da cabeça de cada um, ora, ele nunca foi explícito, e nos dois casos jamais houve a intenção de qualquer coisa a não ser de dar vazão a um bom texto.

         ESTE BLOG SEMPRE TEVE CARÁTER PARTICULAR, DE UM SÓ AUTOR, SEM CENSURA, DENTRO DA LEI, E COM A INTENÇÃO DE PROVOCAR REAÇÕES, CRÍTICAS OU SIMPATIAS, MESMO QUE ENTREMEADAS, ÀS VEZES, DE UM SALUTAR PALAVRÃO OU DE OUTRO PESADO  SARCASMO.

             Por conta do estilo deste blog, tenho muitos simpatizantes e poucos ferrenhos inimigos.

            Talvez por conta de pegar pesado quando usam as vagas reservadas aos colegas com deficiência física ou discordâncias por conta de certas ações dos Sindicatos, Conselhos, Clubes e  Comissões, mas aí a pluralidade tem que ser democraticamente respeitada até porque todos externos e passíveis de eleições periódicas.

          Eu poderia, por exemplo, ter tomado atitude legal contra um colega que, em setembro de 2009, por escrito, num blog dele, me mandou, nominalmente, tomar no cu e eu, mesmo não sendo chegado, para manter a coerência, respeitei o gosto dele:

         Clique abaixo:

http://madrugainsone.blogspot.com/2009/10/mau-jornalismo.html

         O fato se deu em função deste post aqui no meu blog:

https://mamcasz.wordpress.com/2009/09/30/requiem-para-uma-comissao/

        Repetindo.

      Este atual representante da Jovem Guarda na chapa 2 nas atuais eleições no Sindicato dos Jornalistas do DF  me mandou exatamente  isto, sem tirar muito menos por:

http://www.youtube.com/watch?v=Iip4tDz786o

                      E por que me lembro do ataque passado no momento presente de campanha sindical dele e da turminha no sindicato, espero que sem futuro.

                     Bom. Arquivo, memória, roda o vídeo, roda, roda e avisa, balança a pança o Velho Guerreiro (?).

                   Tanto que em homenagem ao mais novo general do Itamaraty, o poetinha Vinicius de Morais, promovido post-mortem a embaixador, eu devolvo aos meus inimig@s, e não os nomino aqui para manter o costume de não colocar cobra no altar, o seguinte poema-canção muito em voga na turma da Velha Guarda:

 

“Eu caio de bossa
Eu sou quem eu sou
Eu saio da fossa
Xingando em nagô

Você que ouve e não fala
Você que olha e não vê
Eu vou lhe dar uma pala
Você vai ter que aprender


A tonga da mironga do kabuletê
A tonga da mironga do kabuletê
A tonga da mironga do kabuletê

Eu caio de bossa
Eu sou quem eu sou
Eu saio da fossa
Xingando em nagô

Você que lê e não sabe
Você que reza e não crê
Você que entra e não cabe
Você vai ter que viver


Na tonga da mironga do kabuletê
Na tonga da mironga do kabuletê
Na tonga da mironga do kabuletê

Você que fuma e não traga
E que não paga pra ver
Vou lhe rogar uma praga
Eu vou é mandar você


Pra tonga da mironga do kabuletê
Pra tonga da mironga do kabuletê
Pra tonga da mironga do kabuletê

( A tonga da mironga do kabuletê – Vinicius de Moraes e Toquinho )

Então, Saravá, Inté e Axé, man@.

Anúncios