Recife é a região que tem a maior porcentagem de desocupados, 6,7% na última Pesquisa Nacional de Amostras por Domicílio (Pnad), divulgada pelo IBGE, que a partir de agora, passa a classificar este segmento como pessoa economicamente não-ativa.

Só uma explicação antes de continuar a prosa. Desocupado, para os técnicos do IBGE, que fazem a PNAD, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, que acaba de ser divulgada, é simplesmente a pessoa que se cansou de procurar emprego. Não tem nada a ver com vagabundo. Pelo contrário.

Segundo o IBGE, existem hoje seis milhões e 627 mil desempregados e um milhão e trezentos mil desocupados. Ah … isto só nas regiões administrativas onde a PNAD do IBGE chega, ou seja: Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. E nos demais?

Então me ouça, pessoa:

Quem são esses desocupados? Mais da metade  são mulheres, 35,1% nunca trabalharam, mais de um terço (33,9%) são jovens entre 18 e 24 anos de idade; 57,6% são pretos ou pardos, ou seja, negros e,  53,6% não completaram o ensino médio, ou secundário, ou segundo grau.

Então, tá.

Inté e Axé!

Anúncios

Existem hoje no Brasil um milhão e duzentos e noventa e quatro mil desocupados. Média nacional de sete por cento.  Isto mesmo. Palavra do IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, um órgão do governo  federal.

O maior  número de desocupados está em Salvador, na Bahia, com a média de 12 por cento em cima do pessoal chamado de trabalhador. Do outro lado, com menor número de desocupados no país está Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, com a média de 4,7 por cento.

Antes de continuar a prosa me permita uma explicação que muda tudo o que estás pensando neste exato momento.

DESOCUPADO, segundo os técnicos do IBGE, não é a pessoa preguiçosa e tal. Pelo contrário.

É a pessoa que se cansou, sim, mas de procurar emprego, porque não acha trabalho de jeito nenhum.

 Então, axé, meu Rei.

Para ouvir o lero, clique abaixo na Rádio Mamcasz:

http://podcast1.com.br/canal.php?codigo_canal=1618